sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela reduz horário de trabalho para poupar energia eléctrica

A Venezuela anunciou hoje que vai reduzir o horário de trabalho dos funcionários públicos de oito para seis horas para reduzir o consumo elétrico, que aumentou nos últimos dias devido a uma onda de calor.

© Gonzalo Fuentes / Reuters

"Analisámos e chegámos ao acordo de que a maior parte da administração pública nacional vai passar a ter um horário contínuo de seis horas de trabalho", anunciou o vice-presidente da Venezuela, Jorge Arreaza.

O anúncio foi feito através do canal estatal Venezuelana de Televisão, onde Jorge Arreaza explicou que nos últimos dias se têm verificado temperaturas muito elevadas, levando as pessoas a usarem mais os aparelhos de ar condicionado.

"Ontem [segunda-feira], em Maracaibo [uma cidade a oeste do país], a perceção térmica era de 45 graus Celsius, hoje dizem-nos que é superior", disse.

O vice-presidente da Venezuela adiantou que vão ser feitas inspeções para confirmar o cumprimento do horário de trabalho e verificar o uso eficiente e consciente dos equipamentos que consomem eletricidade.

Jorge Arreaza acrescentou também que estão em análise medidas de poupança de energia para serem aplicadas pelos grandes consumidores privados, nomeadamente centros comerciais, hotéis, estabelecimentos e algumas indústrias.

O anúncio das medidas ocorre depois de alguns analistas terem chamado a atenção para a descida do nível das águas na barragem de El Guri, a principal do país, e de alegados problemas de manutenção do sistema elétrico venezuelano.



Lusa
  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.