sicnot

Perfil

Mundo

Dez condenados a 25 anos de prisão por envolvimento no ataque a Malala

Um tribunal paquistanês condenou 10 homens a 25 anos de prisão por envolvimento no ataque de 2012 à jovem ativista Malala Yousafzai, conhecida por fazer campanha contra os esforços talibãs para negar educação a raparigas.

© Suzanne Plunkett / Reuters

Os talibãs paquistaneses reinvindicaram a responsabilidade do atentado que aconteceu quando Malala ia da escola para casa, em Swat, no noroeste da capital, Islamabad. A polícia acredita que o atirador escapou através da fronteira para o Afeganistão.

Estas foram as primeiras condenações do ataque.

Recorde-se que Malala ficou gravemente ferida e foi levada de helicóptero para a Grã-Bretanha, onde vive agora. Dois outros estudantes ficaram feridos.

Desde então, Malala tornou-se uma embaixadora global do direito à educação para todas as crianças. Ganhou, por isso, o Prémio Nobel da Paz em 2014.

Malala O militantes paquistaneses dos talibã reinvindicaram a responsabilidade do atentado que aconteceu quando Malala ia da escola para casa em Swat, no noroeste da capital, Islamabad. A polícia acredita que o atirador escapou através da fronteira para o Afeganistão.

Estas foram as primeiras condenações do ataque.

Recorde-se que Malala ficou gravemente ferida e foi levada de helicóptero para a Grã-Bretanha, onde vive agora. Dois outros estudantes ficaram feridos.

Desde então, Malala tornou-se uma embaixadora global do direito à educação para todas as crianças. Ganhou, por isso, o Prémio Nobel da Paz em 2014.

Malala Yousafzai não pode regressar à sua terra natal por causa de ameaças de morte dos talibã.