sicnot

Perfil

Mundo

Juncker espera esclarecimento alemão sobre acusões de espionagem por conta dos EUA

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou hoje em Bruxelas esperar que a Alemanha esclareça as suspeitas de os seus serviços secretos terem espiado, por conta dos EUA, funcionários europeus.

 Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

© Ints Kalnins / Reuters

"Não sei o que se passou, devem ser as autoridades alemãs a tratar do assunto e imagino que o farão", acrescentou Juncker, questionado por jornalistas sobre o caso.

Segundo a imprensa alemã, os serviços secretos do país terão ajudado a Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla em inglês) a espiar altos funcionários em Paris e Bruxelas.

Segundo o diário Süddeutsche Zeitung (SZ), terão sido escutados altos funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Presidência da República franceses, bem como da Comissão Europeia.



Lusa
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.