sicnot

Perfil

Mundo

Juncker espera esclarecimento alemão sobre acusões de espionagem por conta dos EUA

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou hoje em Bruxelas esperar que a Alemanha esclareça as suspeitas de os seus serviços secretos terem espiado, por conta dos EUA, funcionários europeus.

 Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia (Reuters/ Arquivo)

© Ints Kalnins / Reuters

"Não sei o que se passou, devem ser as autoridades alemãs a tratar do assunto e imagino que o farão", acrescentou Juncker, questionado por jornalistas sobre o caso.

Segundo a imprensa alemã, os serviços secretos do país terão ajudado a Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla em inglês) a espiar altos funcionários em Paris e Bruxelas.

Segundo o diário Süddeutsche Zeitung (SZ), terão sido escutados altos funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Presidência da República franceses, bem como da Comissão Europeia.



Lusa
  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06