sicnot

Perfil

Mundo

Navios de guerra iranianos patrulham estreito estratégico no Iémen

Dois contratorpedeiros iranianos enviados para o Golfo de Áden para proteger navios mercantes chegaram à entrada de um estreito estratégico entre o Iémen e o Djibuti, anunciou hoje a Marinha do Irão.

© Stringer . / Reuters

"Estamos presentes no Golfo de Áden em conformidade com as regras internacionais para garantir a segurança de navios comerciais do nosso país contra a ameaça de piratas", afirmou o Chefe do Estado-Maior da Armada iraniana, o contra-almirante Habibollah Sayari, citado pela agência oficial IRNA.

 

A Marinha enviou os contratorpedeiros Alborz e Bushehr para patrulhar a entrada do estreito, acrescentou, precisando que a missão se prolonga até 22 de junho.

 

O estreito de Bab el-Mandeb, entre o Iémen e o Djibuti, é uma entrada estratégica para o Mar Vermelho, pela qual passam diariamente cerca de quatro milhões de barris de petróleo em navios com origem ou destino ao Canal de Suez.

 

Na semana passada, os Estados Unidos enviaram um porta-aviões e um cruzador para as águas ao largo do Iémen devido à aproximação de um conjunto de navios iranianos, regressando dias depois ao Golfo Pérsico, perante o recuo dos navios iranianos.

 

O Iémen é cenário de um conflito armado entre as milícias xiitas 'huthis', apoiadas pelo Irão, e as forças leais ao presidente, Abd Rabbo Mansur Hadi, apoiadas por uma coligação árabe liderada pela Arábia Saudita.

 


Lusa

  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    País

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.