sicnot

Perfil

Mundo

Guarda costeira italiana resgata 3.690 migrantes no Mediterrâneo

A guarda costeira italiana anunciou hoje de manhã ter coordenado, no sábado, o resgate de 3.690 migrantes no Mediterrâneo, ao mesmo tempo que tinham em curso novas operações a decorrer durante a manhã.

© Darrin Zammit Lupi / Reuters

Apesar de não constituir um número recorde, este registo é um dos mais elevados nos últimos anos para um só dia. 

De acordo com os dados da polícia costeira italiana, citados pela agência de notícias France-Presse (AFP), os dias mais agitados foram a 12 de abril, quando resgataram 3.791 pessoas, e a 13 de abril, quando salvaram 2.850.

Para além do resgate efetuado hoje, a guarda costeira italiana tem outras operações em curso na manhã de hoje, não tendo, no entanto, dado pormenores mais precisos.

Segundo a AFP, cerca de 210 migrantes foram salvos no sábado pelo navio de patrulha francês 'Comandante Birot', enviado na semana passada para reforçar o dispositivo europeu no mar Mediterrâneo, na sequência de uma série de naufrágios, em abril, que provocaram a morte a milhares de pessoas.

Os migrantes resgatados foram encaminhados para o porto de Crotone, na Calábria (sul de Itália), onde os foram socorridos e os dois presumíveis contrabandistas entregues às autoridades.

Para além do navio patrulha francês, as operações de sábado mobilizaram vários meios italianos, entre quatro navios da guarda costeira, dois navios da marinha, dois cargueiros, dois navios da polícia aduaneira e dois rebocadores.

A marinha italiana anunciou igualmente que a sua fragata 'Bersagliere' socorreu 778 migrantes e que o seu barco de patrulha outros 675.

Alguns dos migrantes socorridos no sábado chagaram durante a noite à ilha italiana de Lampedusa, a mais próxima da costa africana, enquanto a maior parte era esperada durante o dia de hoje, depois do meio-dia ou à noite, na Sicília ou no sul de Itália.

Todos os dias, várias centenas de imigrantes, sobretudo africanos mas também muitos sírios, chegam à costa italiana depois de terem sido socorridos pela marinha ou pela guarda costeira italianas. 

Lusa
  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46