sicnot

Perfil

Mundo

Ex-presidente executiva da Hewlett-Packard entra na corrida presidencial norte-americana

A antiga presidente executiva da Hewlett-Packard (HP), Carly Fiorina, anunciou hoje oficialmente, na rede social Twitter, que é candidata à corrida presidencial nos Estados Unidos. 

AP

"Vou concorrer para presidente", escreveu numa mensagem na rede social Carly Fiorina, de 60 anos, a única mulher, até ao momento, a concorrer às primárias republicanas para a nomeação presidencial.

A empresária deve dar a conhecer a estratégia e os assuntos que vão marcar a sua campanha num evento mais formal agendado para hoje à tarde. 

Antiga conselheira do ex-candidato presidencial republicano John McCain, que foi derrotado pelo democrata Barack Obama nas eleições de 2008, Carly Fiorina liderou a HP durante seis anos até 2005, quando foi forçada a demitir-se depois do valor das ações daquela empresa tecnológica em bolsa ter sofrido uma forte quebra.

Em 2010, Carly Fiorina concorreu, sem sucesso, ao cargo de senadora do Estado da Califórnia contra a democrata Barbara Boxer.



Lusa
  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.