sicnot

Perfil

Mundo

Interpol emite alerta mundial sobre produto de dieta potencialmente mortal

A Interpol emitiu hoje um alerta mundial sobre um produto de dieta, também conhecido no universo do culturismo, que causou a morte de uma mulher no Reino Unido e graves problemas de saúde a um cidadão francês.

© Finbarr O'Reilly / Reuters

"Um alerta mundial foi emitido pela Interpol sobre o 2,4-dinitrofenol (DNP), uma substância ilícita e potencialmente mortal utilizada como produto de dieta e de ajuda ao desenvolvimento de músculos", anunciou a organização internacional de cooperação policial em comunicado.

Trata-se de um "alerta laranja", destinado a alertar a polícia, os organismos públicos e as organizações internacionais, na sequência "da morte de uma mulher no Reino Unido e de um francês ter ficado gravemente doente após ter consumido esta substância".

Habitualmente vendido sob a forma de um pó amarelo ou em cápsulas, o DNP encontra-se igualmente em creme, fazendo ainda parte da composição de alguns explosivos.

Os riscos ligados à sua utilização são aumentados pelas suas condições de fabrico ilegais, segundo a Interpol.

É produzido em laboratórios clandestinos "que não aplicam quaisquer normas de higiene", expondo "os consumidores a um risco acrescido de 'overdose' devido à sua falta de competências especializadas", adverte a Interpol.

Nos anos 1930, o DNP era utilizado para estimular o metabolismo e ajudar à perda de peso, mas foi retirado do mercado depois de ter causado várias mortes.

Divulgado a pedido do Departamento Central de Luta contra os Atentados ao Ambiente e à Saúde Pública (OCLAESP), do Ministério do Interior francês, o alerta foi difundido nos 190 países membros da Interpol.



Lusa
  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.