sicnot

Perfil

Mundo

Perto de sete mil migrantes estão detidos na Líbia

Perto de sete mil migrantes que tentavam chegar à Europa por mar estão detidos na Líbia, indicou hoje um responsável em Tripoli, que pediu a ajuda dos países europeus, bem como dos vizinhos. 

AP

Os migrantes, a maioria de origem africana, foram detidos ao largo da Líbia ou antes de deixarem o país e estão colocados em 16 centros na região de Tripoli, em Misrata (200 quilómetros a leste da capital líbia) e em outros setores, disse Mohammed Abdelsalam Al-Qoueiri, responsável do departamento da luta contra a imigração clandestina.  

Este departamento depende do governo paralelo instalado em Tripoli após a tomada da capital em agosto de 2014 por uma coligação de milícias designada Fajr Libya.

O governo líbio reconhecido pela comunidade internacional está instalado no leste do país, que mergulhou no caos desde a queda do regime de Muammar Kadhafi em 2011. 

A situação anárquica na Líbia favoreceu a intensificação da migração clandestina através dos seus 1.770 quilómetros de costa mal controlada e dos 5.000 quilómetros de fronteiras permeáveis.

A costa da Líbia, no Mediterrâneo, encontra-se a pouco mais de 300 quilómetros da ilha italiana de Lampedusa, onde milhares de migrantes desembarcam todos os anos. 

"Até 7.000 migrantes estão detidos nestes centros. São-lhes fornecidos alimentos, cobertores e cuidados médicos", disse Qoueiri, que se queixou das dificuldades da Líbia em lidar com a questão.

Segundo o responsável, em 2014 os migrantes eram repatriados depois de serem detidos, mas este ano o seu governo, como não é reconhecido pela comunidade internacional, não consegue arranjar aviões para os transportar.

Em 2014 "foram reenviados 25.251 migrantes, mas desde o início deste ano apenas foram 1.615", disse.

"Os países europeus devem suportar o fardo connosco e cooperar para repatriar os migrantes em aviões europeus. Porque é que a Líbia deve ser a única a assumir o custo da operação?", adiantou.

Além disso, como a maioria dos migrantes vem de países distantes, é necessário, segundo Qoueiri, que os países vizinhos também ajam para os travar.

Segundo a ONU, mais de 110.000 migrantes passaram pela Líbia em 2014.



Lusa


  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Árbitros recuam e vão apitar jogos do próximo fim de semana

    Desporto

    Os árbitros recuaram esta quarta-feira na intenção de não comparecer nos jogos do próximo fim de semana. Depois de na terça-feira a maioria dos juízes terem apresentado um pedido de dispensa dos jogos da 12.ª jornada do campeonato, esta quarta-feira adiaram a decisão após uma reunião com o Conselho de Arbitragem.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50

    País

    A água é um recurso essencial para todos os organismos vivos, comunidades e atividades económicas. Num país com situações de secas recorrentes, que tendem a ser agravadas pelas alterações climáticas, o que aprendemos com anteriores episódios de escassez de água? Como usar a água para que não falte no futuro? "Água Sob Pressão" foi o tema desta Grande Reportagem, de Carla Castelo (jornalista), Manuel Ferreira (Imagem), Gonçalo Freitas (Edição de imagem), Paulo Alves (Grafismo) e Isabel Mendonça (Produção), exibida na SIC em julho de 2012 (que também foi um ano de seca, ainda que menos grave do que a atual).

  • Jorge Jesus e Ana Malhoa contra o consumo de sal
    1:21
  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15