sicnot

Perfil

Mundo

Juízes franceses terminaram em abril investigação à morte de Yasser Arafat

Os juízes franceses envolvidos na investigação da morte de ex-líder palestiniano Yasser Arafat em 2004 terminaram em abril a investigação criminal aberta por suspeita de assassínio, disse hoje um procurador.

© Finbarr O'Reilly / Reuters

"Os juízes que investigavam [a morte de Arafat] encerraram o inquérito que foi encaminhado para o Ministério Público a 30 de abril", que tem agora três meses para apresentar observações, disse o procurador.

Os peritos designados pelos tribunais franceses descartaram no início do ano a teoria de envenenamento por polónio 210 do líder histórico dos palestinianos, que morreu num hospital perto de Paris a 11 de novembro de 2004.

Três juízes foram responsáveis pela investigação iniciada em agosto de 2012 por suspeita de "assassínio" na sequência de uma queixa apresentada pela viúva de Yasser Arafat, Suha Arafat, depois de ter sido descoberto polónio nos pertences pessoais do marido.

Em 2013, os franceses, assim como uma equipa russa, tinham já excluído a possibilidade de envenenamento do líder palestiniano.







Lusa
  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.