sicnot

Perfil

Mundo

Vários capacetes azuis mortos na República Democrática do Congo

Vários capacetes azuis da ONU na República Democrática do Congo (MONUSCO) foram mortos hoje durante uma emboscada no território de Beni, na província de Kivu do Norte, anunciou o chefe da missão, Martin Kobler. 

© David Lewis / Reuters

"É com tristeza e raiva que soube da morte de capacetes azuis numa emboscada perto de Beni", um grande centro comercial situado no norte da conturbada província de Kivu do Norte, disse Martin Kobler na sua conta no Twitter, sem especificar o número de soldados mortos.

Questionado pela agência noticiosa AFP, Martin Kobler disse que condena os ataques contra os capacetes azuis e expressou apoio às famílias das vítimas mortais e dos feridos.

O represente do secretário-geral da ONU na República Democrática do Congo afirmou que ainda não pode fazer uma avaliação precisa da emboscada.

"Estamos a investigar agora", disse.

O administrador do território de Beni, Kalonda Amisi, disse que ainda não tinha números, mas que o ataque foi contra uma coluna de capacetes azuis da Tanzânia, que caíram numa emboscada do ADF, rebelião ugandesa das forças aliadas.










Lusa
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Inspetores do SEF cansados das promessas do Governo
    1:00

    País

    O sindicato do SEF garante que a segurança contra o terrorismo vai ser assegurada na greve de quinta-feira e sexta-feira nos aeroportos. Acácio Pereira, do sindicato, diz que os inspetores são quase escravos e que estão fartos das promessas do Governo. A greve deverá afetar cerca de 30 mil pessoas. 

  • Graça Fonseca, a primeira governante a assumir-se homossexual
    1:02

    País

    A secretária de Estado da Modernização Administrativa deu uma entrevista ao Diário de Notícias onde assume a sua homossexualidade. É a primeira vez que um governante português o faz. Graça Fonseca assume esta posição pública como uma "afirmação política".