sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela prende 155 polícias e expulsa outros 450 por irregularidades

O ministro do Interior e Justiça da Venezuela anunciou hoje que 19 organismos de segurança foram alvo de uma intervenção administrativa por parte das autoridades, que já detiveram 155 polícias e expulsaram outros 450.

© Tomas Bravo / Reuters

"Até este momento abriram-se 800 processos, 450 funcionários foram dispensados das suas funções e outros 155 oficiais estão na cadeia por comportamento irregular no desempenho das suas funções", explica um comunicado do Ministério do Interior e Justiça, tutelado por Gustavo González López.

O documento, divulgado em Caracas, explica que a avaliação está a ser feita pela Comissão para a Reforma Presidencial, criada por proposta do Presidente Nicolás Maduro.

Por outro lado, o documento precisa que aquele ministério, em conjunto com os organismos de segurança, está a elaborar projetos para serem desenvolvidos nos próximos seis meses, que abrangem mudanças na organização e funcionamento de instituições como o Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (antiga Polícia Técnica Judiciária) e da Polícia Nacional Bolivariana.

Está também em elaboração de uma lei sobre "o mais procurado", para divulgar graficamente "os rostos das pessoas que são procuradas pela justiça ou têm 'antecedentes penais' (registo criminoso)" e para reestruturar a Universidade Nacional Experimental da Segurança.

Os projetos, segundo o comunicado, passam pela incorporação "das comunidades organizadas no controlo externo dos corpos de polícia e organismos de segurança cidadã", que estão "a nível de Estados (regiões)" mas cujo objetivo é que estejam também a nível de freguesias. 

A Comissão Presidencial para a Reforma Policial foi criada a 14 de novembro de 2014, por um decreto presidencial publicado na Gazeta Oficial, e é presidida pelo ex-funcionário policial e deputado do Partido Socialista Unido da Venezuela, Freddy Bernal.

Na Venezuela é frequente as queixas de cidadãos sobre irregularidades no funcionamento dos organismos policiais, bem como as denúncias de funcionários envolvidos em delitos.











Lusa
  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.