sicnot

Perfil

Mundo

Nave espacial russa vai cair na terra até sexta-feira

A nave espacial russa Progress M-27M, que se desviou da sua órbita depois de ter sido lançada a semana passada com destino à estação internacional, vai cair na Terra até sexta-feira, mas sem qualquer ameaça.

Progress M-27M

Progress M-27M

NASA

"Até 24 horas antes, o local da queda do cargueiro fora de controlo só pode ser determinado com uma grande margem de erro", informou fonte do setor aeroespacial da agência de notícias RIA-Nóvosti.

A mesma fonte explicou também que todos os "fragmentos que podem representar uma ameaça não vão chegar à terra, porque se vão desintegrar nas densas camadas da atmosfera".

Segundo previsões do comando norte-americano de Defesa Aeroespacial, a nave espacial russa vai precipitar-se contra a Terra na sexta-feira e vai cair nas águas do oceano Pacífico, perto da costa norte-americana, cerca das 13:30.

A corporação espacial de Energia, fabricante dos cargueiros, previu desde o primeiro momento que a Progress avariada iria cair entre 05 e 07 de maio, mas insistiu que não representa perigo para a Terra já que grande parte da nave vai queimar-se antes de entrar em contacto com a atmosfera.

A Progress, com 35 anos de utilização, é um dos grandes orgulhos da indústria aeroespacial russa, com um historial praticamente imaculado. Até agora, só foi registado um acidente, em agosto de 2011, devido a uma avaria do foguete portador. 

O Centro de Controlo de Voos Espaciais da Rússia perdeu o controlo do cargueiro, lançado do cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão), depois de a nave se ter posicionado numa órbita errada e parar de enviar dados para a Terra, porque não acionou todas as suas antenas. 

Todas as tentativas para retomar o controlo da nave automática, que devia chegar à Estação Espacial Internacional com cerca de 2,5 toneladas de combustível, oxigénio, alimentos e equipamento científico, foram, até agora, infrutíferas.

Por causa disso, aos tripulantes da plataforma orbital foi recomendado que economizem nos gastos, já que a próxima Progress não será lançada antes de agosto, apesar do cargueiro norte-americano Dragon sair com destino à estação a 19 de junho.









Lusa
  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.