sicnot

Perfil

Mundo

Presidente sírio admite recentes revezes militares

O Presidente sírio Bashar al-Assad reconheceu hoje pela primeira vez que o seu exército sofreu diversos revezes militares mas assegurou que a guerra contra os grupos rebeldes não está perdida.   

© Handout . / Reuters

"Não falamos de nem de dezenas, nem de centenas mas de milhares de batalhas e naturalmente nas batalhas existem retiradas, vitórias e perdas. Existem altos e baixos", disse em Damasco durante as celebrações do Dia dos Mártires. 

"Atualmente estamos envolvidos numa guerra, e uma guerra não é uma batalha, mas uma série de batalhas", acrescentou durante um discurso pronunciado numa escola para crianças de soldados mortos em combate. 

Nas últimas semanas as forças rebeldes, incluindo a Frente Al-Nusra, o ramo sírio da Al-Qaida, conquistaram a estratégica cidade de Jisr al-Shughur, capital da província e Idlib, e uma base militar na região. 

As derrotas militares nesta província, o avanço dos grupos insurgentes no sul e o fracasso das tentativas em avançar na região de Damasco face a uma rebelião unificada contribuíram para aumentar as especulações sobre a atual capacidade das forças do regime. 

Mas al-Assad, rodeado de jovens estudantes, pediu aos seus apoiantes para se manterem firmes e com moral elevada. "Quando existem revezes, devemos enquanto sociedade cumprir o nosso dever e apoiar o moral do exército e não esperar que seja ele que deve apoiar o nosso", insistiu, antes de pedir que seja banido "o espírito de frustração e de desespero após uma perda aqui ou ali".   

Sem reconhecer a queda de Jisr al-Shughur, o Presidente sírio prestou homenagem às forças do regime cercadas pelos rebeldes num hospital a sul da cidade. "O exército vai chegar em breve para ajudar os seus heróis bloqueados no hospital de Jisr al-Shughur", assegurou. 

Cerca de 150 soldados estão cercados há duas semanas neste hospital e envolvidos em intensos combates com as forças sitiantes da Frente al-Nusra e de outras fações islamitas. 

No plano internacional, al-Assad definiu o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan como um "assassino" e comparou-o a Jamal Pacha, o governador otomano da Grande Síria, apelidado "o carniceiro" por ter ordenado, em 06 de maio de 1916, o enforcamento de nacionalistas árabes em Damasco e Beirute, durante a I Guerra Mundial. O Dia dos Mártires foi instituído em sua memória. 

Lusa
  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta esta terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • O preconceito em relação aos transexuais
    34:09
  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Falta de gado ameaça produção do queijo da Serra da Estrela
    3:35

    País

    A devastação provocada pelos últimos incêndios foi um rude golpe na economia da região Centro do país. Algumas empresas já começaram os trabalhos de reconstrução, mas os produtores de gado temem não conseguir repôr os animais, deixando em risco a produção do queijo Serra da Estrela.

  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.