sicnot

Perfil

Mundo

Trezentas e cinquenta menores sexualmente abusadas em Moçambique em 2014

A Procuradora-Geral da República (PGR) de Moçambique, Beatriz Buchili, disse hoje em Maputo que 350 menores foram sexualmente abusadas em 2014 em Moçambique, levando à instauração de 863 processos-crime, dos quais 631 foram objeto de acusação. 

© Andy Clark / Reuters

"De acordo com os dados, no ano de 2014, foram sexualmente abusadas 350 menores por indivíduos, maioritariamente, ligados por laços de parentesco", disse a PGR moçambicana.

Buchili divulgou o número de casos de violação sexual de menores, quando apresentava a Informação Anual do Procurador-Geral da República à Assembleia da República.

Segundo Buchili, em conexão com os casos de violação sexual de menores, 42 processos-crime receberam despachos de abstenção, 126 foram julgados e 190 encontram-se em instrução preparatória.

"Estamos cientes de que os números apresentados podem não corresponder à real situação, se partirmos do pressuposto de que existem casos não denunciados pelo facto de as vítimas temerem represálias e ainda outros serem negociados entre as famílias", afirmou a PGR.

A Informação Anual do PGR dá também conta de que em 2014 foram linchadas 24 pessoas, que morreram à pancada ou queimadas por populares e nalguns casos pelos próprios filhos, devido a alegado roubo ou práticas de feitiçaria.

No balanço sobre a atividade do Ministério Público que prestou ao parlamento, Maria Buchili indicou ainda que 2.735 morreram vítimas de homicídio.

Buchili também fez referência ao homicídio do constitucionalista moçambicano de origem francesa Gilles Cistac, morto a tiro a 03 de março último em Maputo, tendo mencionado apenas que o caso se encontra em investigação.

Lusa
  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01