sicnot

Perfil

Mundo

Levantamento aéreo vai contabilizar elefantes no sul de Angola

O Governo da província do Cuando Cubango, no sul de Angola, está a sobrevoar o município de Rivungo para contabilizar o número de elefantes existentes naquela região, que aumentou significativamente nos últimos anos. 

© Thomas Mukoya / Reuters

A informação foi transmitida hoje pelo administrador do Rivungo, Júlio Vidigal, que realçou a forma "assustadora" como os elefantes estão a povoar o Parque do Luiana, localizado naquela região.

Segundo Júlio Vidigal, os elefantes são provenientes das vizinhas Repúblicas da Zâmbia e a da Namíbia, e estão a regressar ao seu habitat.

Júlio Vidigal disse que foi reforçado o número de fiscais no parque, para impedir os caçadores furtivos de abaterem os elefantes, medida que estará a resultar.

"Nos últimos tempos, manadas de elefantes têm circulado pelas ruas da vila, no período da manhã, numa convivência pacífica com os habitantes da Jamba", contou o administrador do Rivungo, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop.

Com o fim da guerra civil, em 2002, Angola registou o regresso de vários animais que em tempos de conflito abandonaram o seu habitat à procura de refúgio em países vizinhos.

Angola faz parte de um projeto, denominado KAZA, de criação da maior área transfronteiriça de conservação do mundo, em conjunto com os vizinhos Botsuana, Namíbia, Zâmbia e Zimbabué, estando atualmente a organizar os seus parques nacionais na fronteira com estes países. 

Lusa
  • Escritor e filólogo Frederico Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2016

    Cultura

    O escritor, tradutor, professor universitário Frederico Lourenço foi distinguido com o Prémio Pessoa 2016. O anúncio foi feito hoje pelo presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais, em Sintra, sublinhando que a atividade de Frederico Lourenço tem como "traço singular" ter oferecido "à língua portuguesa as grandes obras de literatura clássica".

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Explosão no Cairo faz seis mortos

    Mundo

    Seis pessoas morreram hoje numa explosão junto a um posto de controlo da polícia no Cairo, indicaram os meios de comunicação social e responsáveis egípcios.