sicnot

Perfil

Mundo

Obama diz-se pronto para trabalhar com novo Governo israelita

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, saudou esta quinta-feira o "povo israelita, o primeiro-ministro [Benjamin] Netanyahu e a coligação" para a formação de um novo governo, informou a Casa Branca.

A Casa Branca recorda o compromisso dos Estados Unidos de manter uma cooperação estreita com o Estado hebreu nos domínios militar, da segurança e da informação. (Arquivo)

A Casa Branca recorda o compromisso dos Estados Unidos de manter uma cooperação estreita com o Estado hebreu nos domínios militar, da segurança e da informação. (Arquivo)

© Jonathan Ernst / Reuters

"O Presidente está ansioso por trabalhar com o primeiro-ministro Netanyahu e o novo governo", disse o executivo norte-americano num breve comunicado, que não menciona qualquer conversa telefónica entre os dois homens, que têm relações extremamente tensas. 

Hoje, Netanyahu conseguiu formar um governo de coligação cujo centro de gravidade é deslocado mais para a direita do que no anterior, e que os palestinianos consideram um governo "para a guerra e contra a paz".

A Casa Branca recorda o compromisso dos Estados Unidos de manter uma cooperação estreita com o Estado hebreu nos domínios militar, da segurança e da informação.

"Queremos também continuar as conversações sobre uma série de questões regionais", acrescenta o comunicado, que menciona as negociações sobre o programa nuclear do Irão, bem como a importância das discussões com vista a uma solução com os palestinos, ponto que tem dado origem, nos últimos meses, a uma das piores crises entre os dois aliados.

Durante a campanha eleitoral, Netanyahu enterrou a ideia de um Estado palestiniano, provocando a ira da Casa Branca e, embora tenha depois suavizado as suas declarações, Washington deixou claro que o episódio deixara marcas.

Por seu lado, para os palestinianos, a coligação formada em Israel por Benjamin Netanyahu anuncia um Governo "de guerra".

Este é um governo que tem o objetivo "de matar e de (reforçar) a colonização" nos territórios ocupados, acusa Saëb Erakat, responsável negocial palestiniano, no que é acompanhado por Nabil Chaath, membro do Comité Central da Fatah, o partido do presidente Mahmoud Abbas, segundo o qual a coligação será um "governo de colonos".

Apesar de não ser usual, o seu rival islâmico do Hamas concorda nesta matéria, com Sami Abou Zouhri, porta-voz do Hamas em Gaza, a afirmar que "este Governo reflete o crescente racismo entre os israelitas".

Com dois partidos ultraortodoxos na coligação de Governo e o Ministério da Defesa nas mãos do partido de Benjamin Netanyahu (direita), há "muito pouca esperança de que o Governo decida que a paz é muito melhor do que a ocupação e o apartheid", disse Chaath.

O presidente palestiniano pediu ao Governo israelita para escolher "a paz ou a colonização e o caos", disse o seu porta-voz à agência noticiosa francesa AFP, após as autoridades israelitas terem dado luz verde à construção de 900 novas casas de colonos em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel e que os palestinianos reivindicam como sua capital.

Lusa
  • Soldados israelitas denunciam violação das regras de combate em Gaza
    2:56

    Mundo

    Durante a guerra do verão passado, Israel atacou Gaza de forma indiscriminada e não respeitou a segurança e a protecção dos civis. É o que conclui o relatório de uma organização israelita de antigos militares, que recolhe testemunhos de soldados que participaram na ofensiva. A organização diz que as hierarquias militares violaram a lei internacional, provocando a morte a mais de 2 mil palestinianos, a maioria civis. Israel já prometeu uma investigação.

  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço dos professores
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50