sicnot

Perfil

Mundo

Polacos são chamados às urnas para eleger próximo presidente

As assembleias de voto abriram hoje às 07:00 (06:00 em Lisboa) na Polónia para a primeira volta das eleições presidenciais.

SIC

Cerca de 31 milhões de eleitores são chamados às urnas, que encerram às 21:00 (20:00 em Lisboa), para escolher o chefe de Estado, num escrutínio em que o atual presidente, o liberal Bronislaw Komorowski, é apontado como o grande favorito na corrida em que participam 11 candidatos.

Segundo as sondagens, Komorowski, da Plataforma Cívica -- no poder -- vai conquistar cerca de 40% dos votos, seguido do seu principal rival, o candidato do partido nacionalista conservador Lei e Justiça, Andrzej Duda, com aproximadamente 30%.

A confirmarem-se os resultados das sondagens nas urnas, a Polónia vai ter de realizar uma segunda volta, prevista para 24 de maio. 

Os boletins vão ser contados manualmente, depois da falha informática ocorrida durante eleições locais -- realizadas em novembro último -- que fez com que os resultados definitivos fossem divulgados quase uma semana depois do escrutínio.

Apesar de um sistema de contagem informatizado estar a ser aplicado paralelamente, os resultados finais vão ser decididos por via da contagem manual.

Segundo a comissão eleitoral polaca, as presidenciais contam com presença de quase uma centena de observadores internacionais.


Lusa
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15