sicnot

Perfil

Mundo

Polícia brasileira constitui 30 arguidos em inquéritos sobre desvios de parlamentares na Petrobras

A Polícia Federal brasileira constituiu 30 arguidos em sete inquéritos sobre a participação de três ex-parlamentares do país dos desvios na petrolífera Petrobras investigados pela Operação Lava Jato.  

A Procuradoria-Geral da República informou, segundo a imprensa brasileira, que irá solicitar à Petrobras 157 milhões de reais (46 milhões de euros) referentes à devolução de dinheiro obtido em crimes de corrupção pelo ex-gerente da empresa Pedro Barusco. (Arquivo)

A Procuradoria-Geral da República informou, segundo a imprensa brasileira, que irá solicitar à Petrobras 157 milhões de reais (46 milhões de euros) referentes à devolução de dinheiro obtido em crimes de corrupção pelo ex-gerente da empresa Pedro Barusco. (Arquivo)

© Sergio Moraes / Reuters

A 11ª fase da operação, que resultou na prisão do ex-deputado André Vargas no dia 10 de abril, foi realizada para apurar crimes de fraude, branqueamento de capitais, corrupção e associação criminosa. 

Além de Vargas, expulso do Partido dos Trabalhadores (PT, de Dilma Rousseff) em dezembro de 2014, foram investigados os ex-deputados Luiz Argôlo (do Partido Solidariedade) e Pedro Corrêa (do Partido Progressista).

O ex-deputado do PT é um dos suspeitos constituídos como arguidos (chamados no Brasil de indiciados) nesse inquérito, segundo a imprensa brasileira.

O doleiro (que faz operações ilegais com a moeda norte-americana) Alberto Yousseff afirmou hoje que dois ex-ministros do Governo de Rousseff sabiam da corrupção na Petrobras, num depoimento prestado na Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados, que investiga o caso. 

Yousseff, que fez um acordo com as autoridades brasileiras para prestar informações em troca de uma possível redução de pena, citou os nomes do ex-ministro da secretaria-geral da Presidência Gilberto Carvalho, e das Relações Institucionais Ideli Salvati, e confirmou ter usado dinheiro da Petrobras nas campanhas políticas em 2010. Os ex-ministros negaram a participação no esquema. 

A Procuradoria-Geral da República informou, segundo a imprensa brasileira, que irá solicitar à Petrobras 157 milhões de reais (46 milhões de euros) referentes à devolução de dinheiro obtido em crimes de corrupção pelo ex-gerente da empresa Pedro Barusco. 

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.