sicnot

Perfil

Mundo

Regime da Coreia do Norte revela morte de general Kim Kyok-sik

O general norte-coreano Kim Kyok-sik, considerado responsável pelos ataques à Coreia do Sul que provocaram 50 mortos em 2010, morreu este fim de semana aos 77 anos, revelou hoje o diário Rodong em Pyongyang.

reuters

O alto quadro militar, que padecia de cancro, morreu no domingo de insuficiência respiratória, explica o diário do Partido dos Trabalhadores num breve comunicado.

Kim Kyok-shik, considerado um militar da 'linha dura', foi, entre 2007 e 2009, ministro da Defesa, a máxima autoridade do Exército Popular norte-coreano apenas abaixo do líder do regime, e depois passou a dirigir o quarto regimento das Forças Armadas na província de Hwanghae, próxima da fronteira ocidental com a Coreia do Sul.

O Governo sul-coreano sustenta que, durante essa temporada, o general terá orquestrado o afundamento do navio militar Cheonan e o bombardeamento da ilha sul-coreana de Yeonpyeong, em 2010, ataques que provocaram a morte a 50 pessoas, duas delas civis.

Em novembro de 2012, Kim Kyok-shik foi nomeado novamente ministro da Defesa, cargo que manteve até ser substituído sete meses mais tarde por Jang Jong-nam, um general relativamente desconhecido e jovem, de apenas 50 anos.

Já em 2013, seria nomeado Chefe do Estado Maior do Exército Popular norte-coreano, um dos mais numerosos do mundo com mais de 1,1 milhões de militares nas suas fileiras.

O afundamento do Cheonan em março de 2010 e o bombardeamento da ilha de Yeonpyeong em novembro do mesmo ano foram dois dos episódios de maior tensão militar entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul desde que ambos os países se enfrentaram na Guerra da Coreia entre 1950 e 1953.

Ainda que Pyongyang negue o seu envolvimento no afundamento do Cheonan, que provocou 46 mortos, Seul impos duras sanções económicas ao seu vizinho que se mantêm até hoje.

Ambos os países permanecem tecnicamente em guerra depois do conflito armado ter terminado com um armistício e não com um tratado de paz
  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos 8 jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Rui Rio alerta que violações do segredo de justiça ameaçam democracia
    2:16

    País

    Rui Rio diz que não pede demissões "a cada esquina" e prefere aguardar pelas respostas do ministro Adjunto Siza Vieira, sobre o alegado conflito de interesses com os acionistas chineses da EDP. O líder do PSD esteve esta terça-feira reunido com a direção nacional da Polícia Judiciária, onde defendeu que a violação do segredo de justiça é insustentável e ameaça o regime democrático.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47