sicnot

Perfil

Mundo

Acordo de princípio entre Vaticano e palestinianos

O Vaticano e a Autoridade Palestiniana chegaram a um acordo de princípio sobre o estatuto e atividades da Igreja Católica nos territórios palestinianos, foi hoje anunciado em comunicado.  

© Giampiero Sposito / Reuters

"O acordo vai ser submetido às respetivas autoridades para aprovação, antes de ser escolhida uma data, em futuro próximo, para ser assinado", de acordo com o comunicado, divulgado após o fim de uma reunião de trabalho da comissão bilateral do Vaticano e dos palestinianos.  

A agência especializada I.Media indicou que o acordo poderá ser assinado a partir do fim de semana, durante a visita ao Vaticano do presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, por ocasião da canonização no domingo de duas religiosas palestinianas. 

"As conversações decorreram num ambiente cordial e construtivo", garantiu o Vaticano, acrescentando que o acordo incide "sobre os aspetos essenciais da vida e da atividade da Igreja na Palestina". 

As duas partes assinaram um "acordo básico" a 15 de fevereiro de 2000.

O Vaticano usou pela primeira vez, em fevereiro de 2013, a expressão "Estado da Palestina", na sequência da admissão, em novembro de 2012, da Palestina como Estado observador da ONU. 

O acordo de princípio expressa o apoio do Vaticano a uma solução da "questão palestiniana e do conflito entre israelitas e palestinianas no quadro da fórmula de dois Estados", disse Antoine Camilleri, chefe da delegação do Vaticano, numa entrevista ao diário católico L'Osservatore Romano. 

Lusa
  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.