sicnot

Perfil

Mundo

Estudo associa cor vermelha a agressividade, autoridade e domínio masculino

O uso de roupa vermelha transmite uma impressão de agressividade e autoridade e pode constituir uma vantagem no desporto, segundo um estudo publicado hoje na revista Biology Letters, da Royal Society britânica.

Na investigação, feita por cientistas dos departamentos de Antropologia e Psicologia da Universidade de Durham, no Reino Unido, é evidenciada uma correlação entre a cor vermelha e a ideia de dominação masculina, de testoterona.  

Para realizar este inquérito, os cientistas modificaram numericamente a cor da roupa masculina em 20 fotografias. Estes homens foram apresentados sucessivamente vestidos de vermelho, azul e cinzento. Cem observadores (50 homens e 50 mulheres) avaliaram posteriormente a agressividade, a autoridade e o estado emocional que extraiam do fotografado. 

Os homens apresentados com uma t-shirt vermelha foram considerados como "mais agressivos, "mais dominantes", "mais corajosos" e como tendo mais hipótese de ganhar uma competição. 

Os observadores atribuíram-lhes automaticamente traços de personalidade bem precisos. 

O vermelho foi considerado sinónimo de vermelho e cólera pelos observadores dos dois sexos. Mas apenas os homens consideraram esta cor como um sinal de domínio. 

O estudo revelou também que vestir cores cinzentas ou azuis não veicula nenhuma impressão de agressividade ou de autoridade. 

Os homens fotografados não são vistos como estando em estado de cólera. E isto tanto no caso dos observadores como das observadoras. 

Para os cientistas, os resultados mostram que existem associações surpreendentes entre o vestir roupa vermelha e a perceção social da pessoa. 

O vermelho parece enviar sinais específicos entre os humanos, desencadeando associações mentais, mesmo fora de qualquer contexto de competição. 

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Incêndio num estádio em Xangai destrói parte da bancada

    Mundo

    O Estádio Hongkou da equipa chinesa Shanghai Shenhua foi atingido esta terça-feira por um incêndio que acabou por danificar parte da bancada e algumas salas no interior da infraestrutura. Para o local, foi enviada uma equipa de bombeiros que conseguiu controlar as chamas.