sicnot

Perfil

Mundo

Grupo designado Estado Islâmico reivindica atentado de Carachi contra xiitas

O grupo designado Estado Islâmico reivindicou o ataque a tiro a um autocarro no Paquistão, que transportava membros da minoria xiita ismaelita, e que matou 43 pessoas, alegadamente o seu primeiro atentado neste país.

Dezenas de elementos das Forças Armadas da Síria terão sido capturados pelo Estado Islâmico numa zona desértica (Arquivo Reuters)

Dezenas de elementos das Forças Armadas da Síria terão sido capturados pelo Estado Islâmico numa zona desértica (Arquivo Reuters)

© Omar Sanadiki / Reuters

A reivindicação deste grupo, feita através da rede social Twitter, é suscetível de agravar os receios com a influência desta organização extremista, baseada no Médio Oriente, uma vez que esta ação sucede ao anúncio, feito em janeiro, da criação de um ramo numa região que engloba o Afeganistão, o Paquistão e partes dos países vizinhos. 

"Graças a Alá, foram mortos 43 apóstatas e cerca de 30 foram feridos", declarou o grupo, em declaração feita em Árabe.

O Paquistão tem assistido a uma onda crescente de violência sectária nos últimos anos, em particular contra os xiitas, que representam cerca de 20% da sua população, maioritariamente muçulmana, de 200 milhões. 

Fonte militar adiantou que o ataque foi feito por seis homens, que se deslocavam em motocicletas, que entraram no autocarro e dispararam indiscriminadamente. 

O príncipe Karim Aga Khan, que é o líder espiritual da comunidade ismaelita mundial, já condenou o atentado, à semelhança do primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, e do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Tem havido preocupações crescentes com a possibilidade de o grupo conseguir apoio no Paquistão, que tem dezenas de grupos a atuar. 

Um grupo designado Jundullah, que já reivindicou atentados relevantes, incluindo um a uma igreja em Peshawar, que matou 81 cristãos em 2013, também reclamou a autoria deste ataque ao autocarro. 

O Jundullah já declarou a sua obediência ao grupo Estados Islâmico. 

Lusa
  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.

  • Incêndio na Amadora deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação na Buraca, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa