sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 350 crianças soldado centro-africanas libertadas por grupos armados

Mais de 350 crianças soldados centro-africanas, várias menores de 12 anos, foram libertadas esta quinta-feira por grupos armados no âmbito de um acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância, anunciou a UNICEF num comunicado.

Em cerimónias distintas, 357 crianças foram libertadas na região de Bambari (centro) pelos ex-rebeldes Séléka, maioritariamente muçulmanos, e pelas milícias anti-balaka, principalmente cristãs, os principais beligerantes do conflito que afeta a República Centro-Africana há mais de dois anos. (Arquivo)

Em cerimónias distintas, 357 crianças foram libertadas na região de Bambari (centro) pelos ex-rebeldes Séléka, maioritariamente muçulmanos, e pelas milícias anti-balaka, principalmente cristãs, os principais beligerantes do conflito que afeta a República Centro-Africana há mais de dois anos. (Arquivo)

© Stringer . / Reuters

"Após dois anos de intensos combates, a libertação das crianças por estes grupos (...) é um verdadeiro passo em direção à paz", congratulou-se o representante da UNICEF em Bangui, Mohamed Malick Fall.

Em cerimónias distintas, 357 crianças foram libertadas na região de Bambari (centro) pelos ex-rebeldes Séléka, maioritariamente muçulmanos, e pelas milícias anti-balaka, principalmente cristãs, os principais beligerantes do conflito que afeta a República Centro-Africana há mais de dois anos.

Trata-se da "maior libertação de crianças ligadas aos grupos armados na República Centro-Africana, desde que a violência começou em 2012", sublinhou a UNICEF.

O acordo entre líderes de grupos armados na República Centro-Africana e a UNICEF foi feito na semana passada, durante um fórum de reconciliação nacional em Bangui, e previa também o fim imediato do recrutamento de crianças.

A UNICEF calcula que entre 6000 e 10.000 crianças integram as fações armadas da República Centro-Africana, sendo utilizadas como combatentes, cozinheiros, estafetas e para fins sexuais. 

Em 2014, o Fundo da ONU para a Infância e os seus parceiros conseguiram libertar 2800 crianças que serviam os grupos armados naquele país.
Lusa
  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15