sicnot

Perfil

Mundo

Noite de violência no Burundi, Presidente apela à calma

O Presidente do Burundi continua na capital económica da Tanzânia, num local secreto. Numa comunicação breve no site da presidência e no Twitter, o chefe de Estado apelou à calma da população. A situação em Bujumbura está mais tranquila, mas às primeiras horas  do dia ainda se ouviam tiros na capital. Durante a noite, as rádios privadas e a principal televisão independente do Burundi foram alvo de ataques de apoiantes do Presidente. 

© Jean Pierre Harerimana / Reuters

A crise política começou a 26 de abril, quando o Presidente do país desde 2005 anunciou a intenção de concorrer a um terceiro mandato. Os adversários consideram o terceiro mandato inconstitucional. 

Um general do Burundi anunciou esta semana a destituição do Presidente, uma informação desmentida pelo próprio Presidente que estava ausente no estrangeiro, mas disse que a tentativa de golpe "falhou". 

As Nações Unidas estimam que mais de 70 mil pessoas tenham já abandonado o Burundi.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho