sicnot

Perfil

Mundo

Noite de violência no Burundi, Presidente apela à calma

O Presidente do Burundi continua na capital económica da Tanzânia, num local secreto. Numa comunicação breve no site da presidência e no Twitter, o chefe de Estado apelou à calma da população. A situação em Bujumbura está mais tranquila, mas às primeiras horas  do dia ainda se ouviam tiros na capital. Durante a noite, as rádios privadas e a principal televisão independente do Burundi foram alvo de ataques de apoiantes do Presidente. 

© Jean Pierre Harerimana / Reuters

A crise política começou a 26 de abril, quando o Presidente do país desde 2005 anunciou a intenção de concorrer a um terceiro mandato. Os adversários consideram o terceiro mandato inconstitucional. 

Um general do Burundi anunciou esta semana a destituição do Presidente, uma informação desmentida pelo próprio Presidente que estava ausente no estrangeiro, mas disse que a tentativa de golpe "falhou". 

As Nações Unidas estimam que mais de 70 mil pessoas tenham já abandonado o Burundi.

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14