sicnot

Perfil

Mundo

Três militantes morreram após tentativa de golpe de Estado no Burundi

Três militantes morreram após tentativa de golpe de Estado no Burundi

Pelo menos três militantes morreram esta quinta-feira, em confrontos na capital do Burundi. O país africano foi alvo de um golpe de Estado na quarta-feira, mas mais de 24 horas depois do anúncio da destituição do Presidente, por parte das forças da oposição, continua a não ser claro quem detém o poder. A situação é cada vez mais preocupante.

  • Noite de violência no Burundi, Presidente apela à calma

    Mundo

    O Presidente do Burundi continua na capital económica da Tanzânia, num local secreto. Numa comunicação breve no site da presidência e no Twitter, o chefe de Estado apelou à calma da população. A situação em Bujumbura está mais tranquila, mas às primeiras horas  do dia ainda se ouviam tiros na capital. Durante a noite, as rádios privadas e a principal televisão independente do Burundi foram alvo de ataques de apoiantes do Presidente. 

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.