sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 50 mortos em ataques a três aldeias da Nigéria atribuídos ao Boko Haram

Pelo menos 55 pessoas morreram esta semana em dois ataques a aldeias na Nigéria, atribuídos ao grupo extremista Boko Haram, afirmou esta sexta-feira fonte governamental, citada pela AFP.

Pelo menos três soldados, seis vigilantes e dezenas de insurgentes do Boko Haram foram mortos durante os confrontos da quarta-feira à noite em Maiduguri, onde as autoridades dizem que os extremistas "foram esmagados pelas tropas". (Arquivo)

Pelo menos três soldados, seis vigilantes e dezenas de insurgentes do Boko Haram foram mortos durante os confrontos da quarta-feira à noite em Maiduguri, onde as autoridades dizem que os extremistas "foram esmagados pelas tropas". (Arquivo)

© Stringer . / Reuters

"Combatentes do Boko Haram atacaram aldeias de Bale e Kayamla onde mataram pelo menos 55 pessoas e queimaram várias casas depois de saqueá-las, antes de prosseguirem para arredores de Maiduguri, onde foram esmagados pelas tropas", disse um oficial vigilante, Abacha Zinnari.

De acordo com Abacha Zinnari, os supostos membros do Boko Haram "mataram 30 pessoas em Kayamla e outras 25 em Bale", aldeia que "está de luto", desde o ataque da quinta-feira. 

Os homens armados, que eventualmente pertencem à organização, "queimaram cerca de 50 casas e saquearam lojas de alimentos e gado", acrescentou. 

Um residente de Kayamla, Musa Kumbo, disse que pelo menos 30 pessoas foram mortas no ataque Boko Haram na sua aldeia e assentamentos circundantes.

 Musa Kumbo disse que os populares da região terão ouvido gritos dos homens armados a afirmarem que "iriam voltar e terminar a sua operação".

As mesmas fontes garantem que pelo menos três soldados, seis vigilantes e dezenas de insurgentes do Boko Haram foram mortos durante os confrontos da quarta-feira à noite em Maiduguri, onde as autoridades dizem que os extremistas "foram esmagados pelas tropas". 

Há três semanas, um outro ataque a um mercado de uma localidade nigeriana perto de Maiduguri, no nordeste do país, atribuído ao Boko Haram, causou quatro mortos. 
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras