sicnot

Perfil

Mundo

23 países europeus exigem esterilização para transexuais mudarem de identidade

Vinte e três países europeus, entre eles a França, a Noruega ou a Suíça, exigem a esterilização das pessoas transexuais antes de aceitarem a mudança de identidade no documento de identificação, revela um relatório da organização 'Transgender Europe'.

© Damir Sagolj / Reuters

De acordo com a 'Transgender Europe', existe uma "severa falta de proteção e de reconhecimento das pessoas transexuais por toda a Europa", havendo 23 países que exigem uma prova de esterilização para autorizarem a mudança de identidade no documento de identificação.

Segundo esta organização, o grupo inclui países como a França, a Noruega, Suíça, Itália, Bélgica, Finlândia, Rússia, Ucrânia, Grécia, Turquia ou o Azerbaijão. Em Portugal essa prova foi exigida até 2011.

A 'Transgender Europe' diz que apenas dois países, Malta e Dinamarca, não exigem um diagnóstico de saúde mental.

Por outro lado, na Irlanda, Hungria, Sérvia, Kosovo, República da Macedónia, Albânia, Moldávia, Andorra, Mónaco, São Marino, Liechtenstein e Arménia não é reconhecido o direito à mudança de identidade.

No total, dos 51 Estados europeus independentes, 37 reconhecem legalmente a identidade de género das pessoas transexuais, ou seja, as pessoas que não se identificam com o género com que nasceram.

"Legislação relativa a não-discriminação, crimes de ódio e asilo, por motivos de identidade de género, estão largamente ausentes. No entanto, há uma nota positiva e, no último ano, sete Estados introduziram proteção especificamente contra a discriminação", diz a organização.

Ainda assim, apenas um terço dos Estados (13) na Europa protege claramente as pessoas transexuais contra crimes de ódio e a 'Transgender Europe' revela que, nos últimos sete anos, foram relatadas 94 mortes em 14 países europeus.

A análise feita a Portugal mostra que o país cumpre 15 requisitos dos 22 avaliados, nomeadamente ao nível da mudança de nome ou mudança de género nos documentos de identificação, sendo um dos países que não autoriza intervenções médicas sem o consentimento da pessoa visada ou práticas de esterilização e que tem legislação específica contra crimes ou discursos de ódio.

Entretanto, o secretário-geral do Conselho da Europa, Thorbjorn Jagland, veio defender que é urgente parar com a violência e o ódio contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais ou transexuais, sublinhando que os países europeus "conseguiram fazer progressos significativos nas últimas décadas" e que não podem agora correr o risco de retroceder.

"Temos de colocar em prática fortes molduras políticas e legais, dar formação e garantir que as vítimas estão conscientes dos seus direitos. Estes não são direitos especiais, mas sim direitos universais garantidos a todos ao abrigo da Convenção Europeia dos Direitos Humanos", disse o responsável, em comunicado.

A 17 de maio assinala-se o Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia e a Transfobia, data escolhida por ter sido a 17 de maio de 1990 que a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista de doenças mentais.
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

    Última Hora

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.