sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades do Egito enforcam seis pessoas acusadas de terrorismo

As autoridades do Egito enforcaram hoje seis pessoas condenadas por atacar soldados e polícias e por pertencer ao grupo 'jihadista' Ansar Beit, agora chamado Wilaya Sina.

© Asmaa Waguih / Reuters

A aplicação da condenação realizou-se hoje às 05:00 locais (04:00 em Lisboa), depois de um tribunal militar ter decretado a pena capital contra as seis pessoas em outubro do ano passado, segundo informa a agência oficial egípcia Mena.

Os executados foram condenados por assassinar dois oficiais da zona de Arab Sherkes e por atacar um autocarro com soldados, bem como um posto de segurança em Mostorod, acontecimentos que remontam a 2013 e 2014.

O grupo Ansar Beit al-Maqdis, que mudou o seu nome para Wilaya Sina quando jurou lealdade ao autodenominado grupo 'jihadista' Estado Islâmico em finais do ano passado, tem reivindicado os principais atentados cometidos no Egito nos últimos anos.

No sábado, o ex-presidente do Egito Mohamed Morsi e cerca de uma centena de dirigentes da Irmandade Muçulmana foram condenados à morte, devido às fugas da prisão durante a revolta de 2011.

A pena capital está sujeita a um parecer não vinculativo do 'mufti' (jurista que interpreta a lei islâmica) do Egito, antes de ser confirmada ou revogada.

Morsi já tinha sido condenado a 20 anos de prisão, há três semanas, num primeiro processo relacionado com atos de violência.

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.