sicnot

Perfil

Mundo

Fiscalidade, Emprego e habitação dividem os principais partidos em Espanha

 A Fiscalidade, o emprego e as matérias sociais são alguns dos temas que mais dividem, ou aproximam, os principais partidos que vão a votos nas autonómicas e municipais espanholas.

© Marcelo Del Pozo / Reuters

Na fiscalidade, os vários partidos apresentam nos seus programas para as eleições de 24 de maio pequenos acertos nos principais impostos, especialmente no Imposto sobre o Rendimento (em Espanha, o IRPF). No entanto, o Partido Socialista Operário de Espanha (PSOE, principal partido da oposição) inova bastante, ao propor a criação de um novo imposto que junte o imposto sobre o património e o IPRF.

Também promete IVA reduzido para os bens de primeira necessidade, IVA super-reduzido (de 5%) para a Cultura e quer acabar com a possibilidade de as grandes empresas beneficiarem de deduções.

Quanto ao Partido Popular (no poder desde 2011), propõe a revisão dos escalões do IPRF (imposto sobre o rendimento), que em Espanha pode ser diferente de região para região. Por outro lado, promete bonificações e reduções fiscais para empreendedores e empresários em nome individual.

Por último, e esta é uma medida "histórica" do PP [que os outros partidos dizem que visa proteger as grandes fortunas], quer reduzir o imposto sucessório e de doações entre pais e filhos, bem como entre cônjuges.

Entre os partidos emergentes, o Ciudadanos (centro Direita) quer baixar o IVA geral para 18%, o reduzido para 7% e acabar com o super-reduzido. Quanto ao rendimento, quer baixar os escalões e a tributação em cada escalão do IRPF e criar um complemento salarial para trabalhadores com rendimentos mais baixos.

O Podemos (Esquerda radical) quer baixar a tributação nos escalões mais baixos do IRPF e aumentar nos mais altos, quer baixar o valor mínimo para a isenção do imposto sobre património e quer criar uma nova fiscalidade ambiental.

Nas questões relacionadas com o Emprego, o PSOE quer suspender a reforma laboral feita pelo atual governo e criar um novo Estatuto do Trabalhador. No entanto, a medida mais emblemática é a subida do salário mínimo, tendo como meta os 900 euros em 2025.

O PP quer um novo modelo de formação para o emprego (sujeito a uma avaliação permanente) e promete assessoria para desempregados de longa duração, trabalhadores idosos e menos qualificados. 

Mais uma vez, são os emergentes a ter as ideias mais inovadoras. O Ciudadanos promete um "cheque-formação" de 1.200 euros para os desempregados e propõe que todos os novos contratos passem a ser sem termo definido, mas as empresas que criem emprego poderiam pagar menos para a segurança social.

O Podemos vai mais longe (mas ainda assim, menos do que vinha propondo desde a sua criação, em janeiro de 2014). O rendimento universal - que era uma das bases do seu programa - deu origem a um "plano de garantia de rendimento" para aproximar o "rendimento mínimo de inserção" gerido pelas autonomias ao "salário mínimo interprofissional" (SMI). 

A ideia agora é aproximar esse rendimento "de forma gradual e dentro das possibilidades" ao SMI anual, que é de cerca de 9080,40 euros por ano (em 14 prestações de 648,60 euros).

Por outro lado, o Podemos quer uma jornada de trabalho de 35 horas e uma reforma dos incentivos à contratação, para canalizá-los a "ações concretas".

Todos os partidos têm propostas sobre habitação e medidas quando ao despejo de pessoas sem possibilidade de pagar a hipoteca.

Os socialistas do PSOE querem criar um sistema de mediação para ajudar a restruturação das dívidas [aos bancos], quer que os bancos tenham de aceitar a casa para saldar a dívida e uma alternativa de residência tendo como base as 800.000 casas vazias construídas em Espanha com apoios públicos.

O PP inscreve no seu programa que quer fomentar o arrendamento social, acordos com os bancos para facilitar segundas oportunidades de pagamento e promover o arrendamento e a reabilitação.

O Ciudadanos também defende a dação em pagamento (o banco ter de aceitar a casa para saldar a dívida), mas a preços de mercado e quer criar um parque de imóveis procedentes de despejos, para servirem de habitação social.

O Podemos pretende, por seu lado, um procedimento judicial simplificado para reestruturar e cancelar dívidas e com uma condição: a dívida hipotecária não poderia ser superior ao valor da propriedade hipotecada. Também propõe penalizar a acumulação de casas vazias.


  • Rajoy afirma que economia espanhola vai crescer 2,9%
    0:42

    Economia

    Mariano Rajoy confirmou que será candidato a primeiro-ministro pelo Partido Popular (PP), mesmo que o partido tenha um mau resultado nas eleições municipais e autonómicas do final de maio. O chefe do Governo de Espanha disse ainda que a economia espanhola vai crescer 2,9% este ano e no próximo, criando mais de meio milhão de postos de trabalho e elogiou o trabalho do executivo.

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus pais e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.