sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 30 mil manifestantes em apoio ao primeiro-ministro da Macedónia

Cerca de 30.000 manifestantes reuniram-se hoje em Skopje para apoiar o primeiro-ministro conservador Nikola Gruevski, acusado pela oposição de corrupção e escutas ilegais em larga escala, refere a agência noticiosa AFP.  

© Ognen Teofilovski / Reuters

Os manifestantes continuavam a afluir para a entrada do parlamento para a concentração marcada para o início da noite, enquanto cerca de mil apoiantes da oposição de centro-esquerda, que exige a demissão do primeiro-ministro, se concentravam a menos de dois quilómetros, frente à sede do governo da ex-república jugoslava.  

O líder dos sociais-democratas macedónios, Zoran Zaev, apelou aos manifestantes para permanecerem frente ao edifício neoclássico onde funciona o executivo "até que (Nikola Gruevski) se demita". 

No domingo, mais de 20.000 pessoas concentraram-se em Skopje para pedir a demissão do primeiro-ministro conservador. Manifestações antigovernamentais de menor amplitude vêm sendo realizadas desde há semanas em Skopje, enquanto a oposição denuncia regularmente casos de corrupção e de suborno implicando o governo.

Desafiando a oposição, o primeiro-ministro disse no sábado não ter qualquer intenção de se demitir, adiantando que por trás da oposição se encontram serviços secretos estrangeiros.

Ao contrário, três dos seus colaboradores, os ministros do Interior e dos Transportes e o chefe dos serviços de informações, apresentaram as suas demissões.

Ex-república jugoslava com 2,1 milhões de habitantes (25% de etnia albanesa), a Macedónia enfrenta uma crise política desde o início do ano.

Gruevski e o seu partido (VMRO-DPMNE) foram reeleitos para um novo mandato de quatro anos em legislativas antecipadas em abril, mas a oposição tem recusado participar nos trabalhos do parlamento e denuncia "fraudes" cometidas durante o escrutínio.

A antiga República Jugoslávia da Macedónia (FYROM, ainda o nome oficial devido ao contencioso territorial com a vizinha Grécia) também permanece em choque após os sangrentos confrontos entre a polícia e um grupo de albaneses armados que provocou 18 mortos entre 09 e 10 de maio.  

Os incidentes na cidade de Kumanovo (norte) foram os mais graves desde que a Macedónia evitou por pouco uma guerra civil em 2001, após uma rebelião armada albanesa. 






Lusa
  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.