sicnot

Perfil

Mundo

Luanda recebe hoje cimeira dos países dos Grandes Lagos, Burundi na agenda

Os chefes de Estado e de Governo dos países da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL) reúnem-se hoje em Luanda numa cimeira extraordinária da organização que vai analisar os conflitos na região, nomeadamente no Burundi. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© SIPHIWE SIBEKO / Reuters

Angola preside a esta organização africana desde janeiro de 2014 e a cimeira de hoje foi antecedida, também em Luanda, na semana anterior, por reuniões, separadas, das chefias militares, dos ministros da Defesa e dos chefes da Diplomacia dos países da CIRGL. 

 
 

A par dos conflitos que se arrastam no Sudão do Sul e na República Centro-Africana - prioridades do mandato angolano -, a crise político-militar no Burundi, que viveu um golpe de Estado frustrado, será um dos assuntos em cima da mesa na cimeira, com o chefe da Diplomacia angolana, Georges Chikoti, a reconhecer uma crise de "segurança e humanitária". 

 
 

"Milhares de pessoas inocentes deixaram as suas zonas de origem [no Burundi], os seus haveres, e procuram refúgio em zonas mais seguras, em alguns dos nossos países, passando à condição de deslocados internos ou refugiados, passando por vicissitudes de toda a ordem, como a fome, doenças e traumas difíceis de serem superados", disse o ministro das Relações Exteriores de Angola, na sexta-feira, na reunião de preparação (Diplomacia) desta cimeira. 

 
 

O Burundi vive uma crise política iniciada pela designação do atual presidente como candidato a um terceiro mandato a 26 de abril, o que levou a uma tentativa de golpe de Estado, já condenada por países da CIRGL. 

 
 

Os opositores consideram um terceiro mandato anticonstitucional, mas o tribunal que fiscaliza a aplicação da lei fundamental deu razão ao campo governamental. O argumento é que o primeiro mandato do presidente, iniciado em 2005, não conta dado ele ter sido escolhido pelo parlamento e não por sufrágio direto como em 2010. 

 
 

Além de Angola, a CIRGL integra o Burundi, a República do Congo, Quénia, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia, Uganda e Zâmbia. 

 
 

A cimeira de chefes de Estado e de Governo decorre hoje nos arredores de Luanda, devendo envolver contactos bilaterais entre os representantes dos vários países.



Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC