sicnot

Perfil

Mundo

Kiev mostra à imprensa dois soldados russos capturados no leste

As autoridades ucranianas mostraram hoje à imprensa dois homens apresentados como soldados russos capturados no leste e hospitalizados em Kiev, numa tentativa de provar o envolvimento do exército russo no conflito.

© Gleb Garanich / Reuters

Os serviços secretos ucranianos (SBU) convidaram vários 'media' internacionais e representantes da OSCE, da União Europeia e da Amnistia Internacional a deslocarem-se ao hospital militar de Kiev para verem os dois homens, que a Ucrânia diz serem soldados das forças especiais russas e a Rússia diz serem antigos militares.

O capitão Evgueni Erofeiev e o sargento Alexandr Alexandrov estavam em dois quartos individuais nos quais os jornalistas entraram, acompanhados de membros do SBU, segundo a agência France Presse. 

Um dos homens tapou a cara enquanto falava com os jornalistas. O outro falou da família, mas recusou dizer que pertence ao exército russo.

Antes de os jornalistas entrarem, os dois homens foram visitados por sete representantes da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa), da UE e da organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional, que não fizeram comentários à saída.

Segundo a Ucrânia, os dois homens, hospitalizados devido a ferimentos sofridos em combate, pertencem à "terceira brigada das forças especiais russas, baseada em Togliatti", 800 quilómetros a sudeste de Moscovo.

O Ministério da Defesa russo negou estas informações, afirmando que os dois "já não faziam parte das Forças Armadas russas no momento da captura", no sábado, perto de Shastia, cidade sob controlo das tropas ucranianas, perto do bastião separatista de Lugansk.

"Estes homens fizeram o seu serviço militar numa unidade do exército russo e têm formação militar", precisou o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov.

Esta é a segunda vez que a Ucrânia anuncia publicamente a captura de soldados russos. Em agosto, uma dezena de paraquedistas russos foi capturada no leste ucraniano. O Presidente russo, Vladimir Putin, afirmou na altura que os militares se tinham perdido durante uma patrulha.

A Ucrânia e os aliados ocidentais acusam repetidamente a Rússia de apoiar militarmente os separatistas pró-russos e de terem tropas regulares destacadas no leste ucraniano, acusação que Moscovo nega categoricamente.

Lusa
  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.