sicnot

Perfil

Mundo

Tiroteio entre motards em Waco terá começado por causa de atropelamento

O tiroteio entre vários gangues de 'motards' rivais, em Waco, no Texas, que no domingo fez nove mortos e levou à detenção de mais de 190 pessoas, terá começado porque um dos envolvidos atropelou outro, explicou hoje fonte policial.

© Mike Stone / Reuters

Segundo a agência France-Presse, que cita o sargento Patrick Swanton, o ajuntamento de vários grupos rivais estava previsto e eles tinham "alugado ou pedido especificamente para usar o espaço ao ar livre em frente ao restaurante Twin Peaks".

Os vários grupos tinham sido convidados, mas, de acordo com a fonte policial, um grupo rival apareceu sem ser convidado, no que, aparentemente, foi entendido como uma disputa de território.

"De acordo com as nossas informações, alguém passou com uma roda por cima do pé de outra pessoa e isso levou ao motim no parque de estacionamento", referiu o sargento, no decorrer de uma conferência de imprensa, referindo-se às causas que terão motivado os confrontos.

Terá sido este incidente que motivou depois a luta com recurso a armas brancas, correntes e bastões no interior de um estabelecimento da cadeia de restaurantes Twin Peaks, situado no interior de um centro comercial local, o 'Central Texas Marketplace', e que terminou numa batalha campal com armas de fogo no parque de estacionamento.

Na sequência deste incidente nove pessoas morreram, 18 ficaram feridas e mais de 190 foram detidas. As pessoas detidas estão acusadas de "participação em crime organizado".

Dos 18 feridos, sete continuam internados.

Entretanto, a polícia exigiu que todos os grupos de 'motards' entregassem as armas e deixassem que os processos de inquérito decorressem normalmente.

Por outro lado, a cadeia de restaurantes à qual pertencia o Twin Peaks de Waco anunciou, em comunicado, que rompeu o contrato de franchise com aquele restaurante, acrescentando que aquele estabelecimento não voltará a abrir com aquele nome.






Lusa
  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.