sicnot

Perfil

Mundo

Taur Matan Ruak condecora cidadãos e organizações estrangeiras por apoio a Timor-Leste

O Presidente da República timorense, Taur Matan Ruak condecorou hoje, 13.º aniversário da restauração da independência timorense, várias organizações e cidadãos estrangeiros pelo seu contributo e apoio à luta de autodeterminação de Timor-Leste.

© Hugo Correia / Reuters

Nas comemorações oficiais do aniversário, que decorrem no campo de futebol de Maliana, a cerca de 150 quilómetros sudoeste de Díli, Taur Matan Ruak atribuiu três dos quatro graus da Ordem de Timor-Leste (colar, medalha e insígnia).

Com o grau principal da Ordem de Timor-Leste, o Colar, foram condecorados os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), o ex-autarca João Soares, o intelectual Noam Chomsky (ausente) e, a título póstumo, o padre anglicano Walter Lini, que foi o primeiro-ministro fundador do Vanuatu.

Um total de 27 pessoas e organizações foram condecorados com o segundo grau, a Medalha, entre as quais a ex-primeira-dama timorense Kirsty Sword Gusmão (que esteve ausente), o bispo Manuel da Silva Martins (também ausente) e a TSF, representada na cerimónia pelo jornalista Manuel Acácio.

Primeiro a João Soares e depois, um por um, aos restantes galardoados, Taur Matan Ruak colocou a condecoração, dando depois abraços a todos, mais demorados no caso de pessoas como Luísa Teotónio Pereira, os jornalistas Adelino Gomes e Manuel Acácio e o deputado João Soares.

Entre os condecorados, que não estiveram todos presentes, contam-se ainda vários ativistas australianos.

São ainda reconhecidas, entre outras, as organizações Asia Pacific Conference on East Timor/Initiatives por International Dialogue (APCET/IDD) (Filipinas), a portuguesa A paz é possível em Timor-leste (APPTL), o East Timor Alert Network (ETAN) do Canadá, o East Timor Ireland Solidarity Campaign (ETISC) e a Plataforma Internacional dde Juristas para Timor-LEste (PIJTTL).

Com a insígnia foram condecorados os jornalistas José Vegar e Peter Cronau e ainda Stephen John Langford e William Bennett Bartlett.

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.