sicnot

Perfil

Mundo

Governo da Tailândia nega expulsão de barco com imigrantes

O Governo de Tailândia disse hoje que não expulsou barcos com imigrantes e negou ter ameaçado disparar na semana passada contra uma das embarcações, conforme tinha dito um dos passageiros. 

© Olivia Harris / Reuters

Sirajul Islam, um muçulmano rohingya resgatado na quarta-feira na Indonésia, afirmou que a marinha tailandesa ameaçou disparar contra o barco se este não abandonasse as águas tailandesas, depois de ter fornceido água e comida aos seus ocupantes, segundo o diário Bangkok Post.

O vice-porta-voz do Governo, Sansern Kaewkamnerd, disse que a Tailândia exclui o uso da violência e que está em conformidade com a lei internacional no que diz respeito à ajuda humanitária.

Sansern assegurou que a marinha entregou mantimentos e reparou o navio, e que os imigrantes a bordo quiseram continuar viagem até à Malásia ou Indonésia. 

Não obstante, afirmou que se os nacionais do Bangladesh ou birmaneses decidirem permanecer na Tailândia devem cumprir os procedimentos contemplados na legislação tailandesa. 

O Governo tailandês distanciou-se de um acordo alcançado, na quarta-feira, pela Indonésia e Malásia, para aceitar os milhares de imigrantes à deriva no golfo de Bengala e mar de Andamão, incluindo muitos 'rohingyas", em acampamentos temporários até poderem ser repatriados ou enviados para países terceiros.

"Nós vamos ajudar, mas temos de discutir as políticas", disse o primeiro-ministro e chefe da junta militar tailandesa, Prayuth Chan-ocha, segundo o jornal Bangkok Post.

Cerca de 3.000 imigrantes do Bangladesh e Birmânia, grande parte da minoria étnica rohingya, desembarcaram, desde a semana passada, na Malásia e Indonésia, apesar das tentativas da marinha desses países para mantê-los afastados das suas costas. 

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), cerca de 25.000 pessoas zarparam em barcos a partir do Bangladesh e Birmânia durante o primeiro trimestre deste ano, o dobro em relação ao mesmo período do ano passado. 

Os rohingya são uma minoria muçulmana apátrida que não vê reconhecida a sua cidadania nem na Birmânia nem no Bangladesh.


Lusa
  • Cerca de 700 imigrantes resgatados na Indonésia

    Mundo

    Cerca de 700 imigrantes da Birmânia (minoria rohingya) e do Bangladesh chegaram esta sexta-feira à Indonésia depois de terem sido resgatados por barcos pesqueiros quando a sua embarcação naufragou na costa da província de Aceh, informou a polícia.

  • Descobertos fósseis que podem provar existência de vida em Marte

    Mundo

    Fósseis com 3,77 mil milhões de anos, dos mais antigos já descobertos, foram identificados por cientistas de vários países na província do Quebec, no leste do Canadá. As descobertas coincidem no tempo com a altura em que Marte e a Terra tinham água líquida à superfície, o que levanta questões sobre a hipótese de vida extraterrestre.

  • As polémicas declarações de João Braga sobre os Óscares

    País

    A Associação SOS Racismo reagiu esta quarta-feira às palavras do fadista João Braga na sua página no Facebook, sobre a cerimónia de entrega dos Óscares, e disse esperar que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial atue de forma exemplar face.

  • "Apelamos ao debate e somos criticados? Então m...."
    0:52
  • Oprah admite candidatar-se à Presidência dos EUA

    Mundo

    A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey admitiu, numa entrevista, que a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro a fez considerar a possibilidade de entrar na corrida à Casa Branca.

  • Temperaturas recorde no "último lugar da Terra"

    Mundo

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou esta quarta-feira que se registaram nos últimos 37 anos temperaturas altas recorde na Antártida, num local que foi descrito como "o último lugar da Terra".