sicnot

Perfil

Mundo

Confrontos entre polícias e civis armados causam 42 mortos no México

Confrontos entre civis armados e agentes da polícia causaram hoje a morte de 42 pessoas, no ocidente do México, uma região que é palco de violência associada ao tráfico de drogas, disse fonte governamental à AFP. 

Lusa

O tiroteio ocorreu durante a manhã no município de Tanhuato, no Estado de Michoacan, e o balanço das mortes - entre civis e polícias - é apenas "preliminar", disse aquela fonte, sob anonimato e sem mais detalhes.

Tanhuato está próximo de Yurecuaro, a cidade onde um antigo líder de vigilantes, que concorria à autarquia, foi morto durante a campanha na semana passada. 

Os agricultores formaram grupos de vigilantes em Michoacan, em 2013, para expulsar o cartel de traficantes designado Cavaleiros Templários, que tem sido enfraquecido com detenções dos seus principais líderes. 

Tanhuato também está próximo da fronteira com o Estado de Jalisco, onde outro cartel de traficantes, o Nova Geração, tem tido confrontos com as forças de segurança, que se têm saldado por vários mortos. 






Lusa
  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".