sicnot

Perfil

Mundo

Espanha vota hoje para as municipais e autonómicas

Quase 35 milhões de eleitores em Espanha, entre os quais 20 mil portugueses, vão hoje às urnas para votar nas eleições municipais e autonómicas espanholas, num novo teste à força de partidos emergentes, como o Podemos e o Ciudadanos. Quase 58 mil mesas de voto em toda a Espanha abriram às 9:00 de hoje (8:00 em Lisboa) e estarão abertas até às 20:00 (19:00).

© Andrea Comas / Reuters

As eleições de hoje incluem não só as municipais - nas quais poderão votar 34,5 milhões de espanhóis e 463,6 mil estrangeiros residentes em Espanha -, mas também eleições autonómicas em 13 das 17 comunidades.

As comunidades autónomas que vão escolher novo governo regional são: Aragão, Principado de Astúrias, Ilhas Baleares, Canárias, Cantábria, Castilla-La Mancha, Castilla e Leão, Comunidade Valenciana, Extremadura, Comunidade de Madrid, Região de Múrcia, Comunidade Foral de Navarra e La Rioja.

Segundo as sondagens, o Partido Popular (PP, no poder) espanhol, à frente de 11 destas 13 regiões - exceção para Navarra (UPN) e Principado das Astúrias (PSOE) - é a formação que mais sofre com a entrada em força dos partidos emergentes Podemos e Ciudadanos.

Em Castilla-La Mancha, por exemplo, os analistas preveem o fim do bipartidarismo absoluto que dura há mais de 30 anos (entre o PP e o PSOE). Os "populares" deverão manter a comunidade, à frente do PSOE, mas com o Ciudadanos a obter 17,6% dos votos e o Podemos 12,6%. 

O cenário de erosão do bipartidarismo do PP e do PSOE também se aplica à Extremadura. Se em 2011, os extremenhos dividiram o seu voto por três formações - dando a vitória ao PP, à frente do PSOE e, a larga distância, os comunistas da Izquierda Unida -, agora deverão ser cinco (com o Podemos e o Ciudadanos) as formações com representação no governo regional. 

Caso se confirmem as sondagens, o Podemos "rouba" oito deputados regionais ao PSOE e o Ciudadanos (centro-direita) tira sete ao PP.

Estas eleições permitirão a todos os partidos e à sociedade espanhola retirar conclusões quanto às eleições gerais (legislativas) que se realizam no final do ano (mas ainda sem data marcada).



Lusa
  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.