sicnot

Perfil

Mundo

PP vence mas perde maioria nas comunidades regionais espanholas

As eleições regionais deste domingo, em Espanha, ditaram o fim da maioria absoluta do Partido Popular nas regiões. Apesar de ter sido o partido mais votado a nível nacional, o PP perdeu mais de dois milhões de votos em relação a 2011. 

O momento da votação do primeiro-ministro e líder do PP espanhol, Mariano Rajoy.

O momento da votação do primeiro-ministro e líder do PP espanhol, Mariano Rajoy.

JUAN CARLOS HIDALGO / Lusa

Também o PSOE, que se mantém como segunda força política, perdeu cerca de 775 mil votos.

Os movimentos emergentes ganham preponderância neste cto eleitoral. Em Barcelona, a coligação, que inclui o Podemos, ganhou a Câmara da cidade. O secretário-geral do partido falou numa "noite histórica" e no "princípio do fim do bipartidarismo" em Espanha.

Também em Madrid, a luta esteve renhida. A candidata apoiada pelo Podemos, Manuela Carmena, ficou muito próxima de Esperanza Aguirre, a candidata do PP, partido que domina a capital espanhola há 24 anos, mas que também perdeu a maioria que detinha.

O Ministério do Interior registou uma participação a rondar os 50%, ligeiramente superior à das eleições regionais de há quatro anos.
  • Espanha vota hoje para as municipais e autonómicas

    Mundo

    Quase 35 milhões de eleitores em Espanha, entre os quais 20 mil portugueses, vão hoje às urnas para votar nas eleições municipais e autonómicas espanholas, num novo teste à força de partidos emergentes, como o Podemos e o Ciudadanos. Quase 58 mil mesas de voto em toda a Espanha abriram às 9:00 de hoje (8:00 em Lisboa) e estarão abertas até às 20:00 (19:00).

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.