sicnot

Perfil

Mundo

Japão estuda medidas para reduzir impacto do calor nos Olímpicos de 2020

O Governo japonês está a estudar várias medidas para combater o calor na capital, Tóquio, durante os Jogos Olímpicos de 2020, nomeadamente um material de pavimentação capaz de diminuir a temperatura e promover a criação de espaços verdes.

Yoshiro mori, ex-primeiro ministro japonês e presidente do Comité olímpico.

Yoshiro mori, ex-primeiro ministro japonês e presidente do Comité olímpico.

reuters

O Executivo teme que as altas temperaturas do verão possam afetar as maratonas de Tóquio e outros eventos desportivos, tornando-se necessário alcançar um ambiente confortável não só para os atletas como ainda para os milhões de visitantes de todo o mundo. 

Entre as várias medidas que estão a ser consideradas está também a incorporação de equipas médicas de emergência para tratar as pessoas, na sequência de ondas de calor, além de colocar mais estádios e novas instalações desportivas, de acordo com informações obtidas pela emissora pública NHK.

Funcionários do Ministério japonês do Meio Ambiente e dos Transportes e Infraestruturas, o Governo Metropolitano de Tóquio e outras entidades públicas começaram já a realizar reuniões para discutir as medidas a adotar.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio terão lugar entre os dias 24 de julho e 09 de agosto e os Jogos Paraolímpicos no final de agosto e início de setembro, o que implica que vão ser realizados numa época muito quente e húmida, com temperaturas de 30 graus em média e uma humidade relativa de 71 por cento.

A Agência Meteorológica do Japão também alertou para a possibilidade de um aumento anual médio de 1 grau no período entre 2016 e 2035 devido ao aquecimento global que está a ocorrer, o que poderia levar os termómetros a ultrapassar os 40 graus. 
  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.