sicnot

Perfil

Mundo

Obama louva "heróis caídos em combate" e defende fim de guerras no Médio Oriente

O Presidente norte-americano prestou hoje homenagem aos "heróis caídos em combate", por ocasião do Memorial Day, sublinhando o pesado fardo das guerras perenes e a sua decisão de retirar as tropas do Afeganistão e do Iraque. 

Lusa

Fazendo eco do elogio de Abraham Lincoln àqueles que oferecem a "última grande dose de devoção", Barack Obama louvou "os heróis do quotidiano" que morreram nas "montanhas da Coreia, nas selvas do Vietname, nos desertos do Médio Oriente" e noutros inumeráveis conflitos.

Embora centrada no passado, a mensagem de Obama estava impregnada de política de guerra que invadiu Washington há uma geração e está ainda hoje bem viva.

"Para muitos de nós, este Memorial Day tem um significado especial; é o primeiro desde que a nossa guerra no Afeganistão terminou", declarou.

"Hoje é o primeiro Memorial Day em 14 anos em que os Estados Unidos não estão envolvidos numa grande guerra no terreno", acrescentou.

O Presidente galardoado com o Prémio Nobel da Paz cumpriu a promessa de campanha de pôr fim à guerra no Afeganistão, que matou 2.200 norte-americanos, e à guerra no Iraque, onde estão agora menos de 10.000 tropas não-combatentes.

Mas os comentários de hoje são proferidos numa altura em que sobem de tom as críticas à sua atuação no Iraque.

Sobretudo os republicanos acusam Obama de criar um perigoso vazio de poder que foi preenchido pelos 'jihadistas' do grupo extremista Estado Islâmico.

O grupo controla agora parcelas do Iraque e da Síria e parece preparar-se para mais ofensivas contra um exército iraquiano em desvantagem numérica.

Alguns estão mesmo a pressionar o chefe de Estado norte-americano para voltar a enviar soldados norte-americanos para o terreno, o que ele se tem recusado a fazer, concentrando-se em reunir poder aéreo, aviões não-tripulados, diplomacia e educação para combater a Al-Qaida, o Estado Islâmico e outros grupos.

Hoje, Obama procurou mais uma vez traçar uma linha de separação em relação à era da "geração do 11 de Setembro", que viu os Estados Unidos envolverem-se em vastas batalhas em diversas frentes.







Lusa
  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.

  • TAP recruta mais assistentes de bordo
    2:40

    Economia

    A TAP assegura que, até ao final de outubro, os problemas com falta de tripulação vão terminar. Até ao final do ano vão ser contratados novos assistentes de bordo, mas o sindicato diz que não chega.

  • "Um ataque e uma humilhação contra o povo catalão"
    1:35