sicnot

Perfil

Mundo

Austrália manteve grupo de imigrantes detido um mês em alto mar

 As autoridades australianas mantiveram um grupo de vietnamitas em busca de asilo detido em alto mar durante quase um mês, antes de o devolver ao seu país de origem, informa hoje a imprensa local.

Arquivo

Arquivo

Anonymous

O chefe da Operação Fronteiras Soberanas, Andrew Bottrell, disse, perante um comité do Senado, que este grupo de 46 pessoas, incluindo crianças, foi intercetado a 20 de março de 2015 e detido a 18 de abril.

O funcionário explicou que os refugiados foram submetidos a entrevistas pessoais em alto mar e investigados, o que significa que nenhum estava abrangido pelas obrigações de proteção australianas.

No entanto, Bottrell assegurou que os 46 vietnamitas "receberam os mais elevados cuidados médicos, alimentos e alojamento", segundo a emissora ABC.

O secretário do Ministério da Imigração e Proteção de Fronteiras, Michael Pezzullo, indicou que os imigrantes estavam cativos num "barco-prisão".

O Governo australiano tem uma rígida política anti-imigração ilegal que inclui obrigar os barcos a regressarem aos seus pontos de embarque e a colocação dos imigrantes em centros de detenção em terceiros países enquanto se processam os pedidos de asilo.

Se os pedidos forem aceites, os imigrantes são realojados noutro país, fora da Austrália.


  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.