sicnot

Perfil

Mundo

Ex-enviado da ONU pede investigação a funcionários malaios por tráfico humano

O ex-enviado da ONU na Birmânia Razali Ismail pediu hoje que a Malásia inicie uma investigação para descobrir possíveis relações entre funcionários locais e as redes de tráfico humano, escreve hoje a imprensa local. 

Gemunu Amarasinghe

Na segunda-feira as autoridades malaias anunciaram ter encontrado 28 cemitérios clandestinos com 139 valas comuns, onde estão os restos mortais de imigrantes vítimas do tráfico de pessoas, a cerca de 500 metros da fronteira com a Tailândia.

"Algumas das pessoas em uniforme participaram [no crime]. Temos de acabar com isso (...). Este é o momento de lutar e reconhecer este enorme crime transnacional no sudeste asiático", assinalou Razali Ismail, em declarações ao canal Channel News Asia.

Uma equipa de especialistas forenses começou hoje a exumar os corpos encontrados nos campos, os quais, segundo relatórios preliminares, mostram sinais de tortura.

O chefe da polícia nacional malaia, Khalid Abu Bakar, indicou que ainda não se sabe o número exato de cadáveres enterrados nesta zona de selva montanhosa, acreditando-se, no entanto, que sejam cidadãos do Bangladesh e da Birmânia.

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Trump remarca encontro com Kim Jong-un no Twitter
    2:33

    Mundo

    A Coreia do Sul e a Coreia do Norte reuniram-se pela segunda vez em menos de um mês. Os Presidentes dos dois países dizem que estão a cooperar para que a cimeira entre Washington e Pyongyang, em Singapura, seja um sucesso. Donald Trump regressou ao Twitter para remarcar a cimeira a 12 de junho.

  • Brasil "virado do avesso" devido à greve dos camionistas
    2:27
  • Na linha do triunfo
    16:49