sicnot

Perfil

Mundo

Rádio dinamarquesa mata coelho em direto para denunciar hipocrisia sobre os direitos dos animais

Um apresentador de uma rádio dinamarquesa matou em direto um coelho com uma bomba de encher pneus de bicicleta, alegando que pretendia denunciar a hipocrisia das pessoas em relação aos direitos e ao bem-estar dos animais. 

© Heinz-Peter Bader / Reuters

"Não o fizemos pelo entretenimento", escreveu a emissora na rede social Twitter, salientando que milhares de animais morrem todos os dias para alimentar a população em geral.

"Compramos e comemos animais que tiveram uma vida abominável. E esses animais foram mortos nas mesmas condições (...) que este coelho no estúdio", referiu a Radio24syv, num comunicado.

O gesto do apresentador da Radio24syv Asger Juhl, que ocorreu na segunda-feira, gerou de imediato polémica e indignação nas redes sociais. Muitas pessoas acusaram a emissora de pretender fazer um golpe publicitário.

"Sem alma, cruel e sem escrúpulos", escreveu uma internauta na rede social Facebook.

Mas nem todas as opiniões foram negativas. Exemplo disso foi o comentário do jornalista Brian Esbensen, que escreveu no Twitter: "E se as pessoas estivessem tão indignadas com os refugiados que morrem afogados?".

No comunicado, a emissora de rádio acrescentou que pretendeu desmistificar "um dos setores agrícolas mais industrializados do mundo". Na Dinamarca, a agricultura é um dos principais setores exportadores.

Não é a primeira vez que os direitos dos animais estão no centro de uma polémica na Dinamarca.

No ano passado, o jardim zoológico de Copenhaga suscitou a indignação mundial quando abateu uma girafa saudável por razões genéticas.

O animal foi abatido e dissecado em frente aos visitantes do jardim zoológico e os restos mortais serviram para alimentar os animais carnívoros do zoológico.







Lusa
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC