sicnot

Perfil

Mundo

Fukushima termina refinação de água radioativa armazenada nos tanques

A proprietária da acidentada central atómica de Fukushima, no Japão, terminou a refinação das 620.000 toneladas de água radioativa armazenadas nos tanques, o que constitui um dos principais desafios para desmantelá-la, afirmou hoje a empresa. 

© POOL New / Reuters

Deste modo, todo o estrôncio (elemento químico) da água que esteve armazenada durante anos nos tanques das instalações foi eliminado, o que reduz bastante o nível de radiação em redor da central e também os riscos de contaminação caso haja fugas nos contentores, explicou a empresa à agência noticiosa Efe.


De todas as substâncias nocivas daquela água, o estrôncio é o isótopo que contribui em maior medida para o aumento da radiação no meio ambiente.


A empresa indicou que, mesmo assim, 30% das 620.000 toneladas ainda requerem um tratamento adicional para eliminar outros isótopos menos perigosos.


A Tokyo Electric Power (TEPCO), empresa propriétaria de Fukushima, tinha previsto a eliminação de todo o estrôncio em março deste ano, mas uma série de avarias atrasou a conclusão do processo.


Toda esta água, gerada durante o processo para esfriar rapidamente os reatores após a ocorrência do terramoto e posterior tsunami de 2011, foi um enorme quebra-cabeças para a TEPCO, devido às contínuas fugas nos tanques e outros problemas.


A fuga mais grave teve lugar no verão de 2013, quando, aproximadamente, mil destes tanques deixaram escapar 300 toneladas de líquido altamente radioativo. 


O acontecimento foi classificado pela Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) e pelas autoridades japonesas com nível 3 na Escala Internacional de Eventos Nucleares (INES), cujo máximo de gravidade é 7.


Em qualquer caso, a TEPCO ainda deve continuar a tratar as 400 toneladas de água contaminada que a central gera diariamente.


Esta quantidade de água é a soma das filtragens do refrigerador que é usado para manter os reatores atómicos frios e do fluxo dos aquíferos naturais que penetra nas caves dos edifícios que os alojam.


A elétrica quer corrigir esta acumulação de água nas caves com um procedimento que ainda está em preparação e que consiste em congelar o subsolo em torno destas construções. 



Lusa
  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.