sicnot

Perfil

Mundo

Retirados 20 mil residentes de Colónia para desativar bomba da II Guerra Mundial

As autoridades da cidade alemã de Colónia (oeste) ordenaram hoje a retirada de 20.000 pessoas das respetivas casas para desativarem uma bomba da II Guerra Mundial, descoberta na passada sexta-feira durante trabalhos de construção.

Os residentes que vivem num raio de um quilómetro foram retirados das respetivas casas, incluindo cerca de 1.100 idosos de um lar

Os residentes que vivem num raio de um quilómetro foram retirados das respetivas casas, incluindo cerca de 1.100 idosos de um lar

© Wolfgang Rattay / Reuters

O dispositivo, de fabrico norte-americano, foi encontrado a cinco metros de profundidade.


O processo de desativação do dispositivo, que não chegou a explodir, vai decorrer hoje ao final do dia e vai implicar, entre outras medidas, a interrupção do tráfico fluvial no rio Reno, segundo informaram hoje funcionários municipais locais.


Os residentes que vivem num raio de um quilómetro foram retirados das respetivas casas, incluindo cerca de 1.100 idosos de um lar, indicaram as mesmas fontes.


O jardim zoológico de Colónia, que também está dentro da zona de perigo, vai estar fechado durante todo o dia.


Centenas de polícias, bombeiros e outros elementos estão envolvidos neste plano de evacuação, o maior nesta cidade desde o fim da II Guerra Mundial (1939-1945).


Sete décadas depois do fim do conflito mundial, a descoberta de bombas não detonadas, normalmente originárias dos então países aliados, é uma situação frequente na Alemanha.


Os dispositivos são normalmente encontrados durante obras de construção civil.


Lusa
  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.