sicnot

Perfil

Mundo

Alunos chineses no estrangeiro querem revelação da "verdade sobre Tiananmen"

Uma dezena de universitários chineses que estudam no estrangeiro desafiaram o Governo chinês com uma carta dirigida aos seus colegas na China em que revelam "a verdade" sobre o massacre de Tiananmen, em 1989.  

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Andy Gao / Reuters

"Considerando os esforços constantes do Governo para encobrir o ocorrido e perseguir os sobreviventes e familiares das vítimas, senti que tinha a responsabilidade moral de elevar a voz e contar a verdade", justificou Gu Yi, aluno na Universidade de Georgia, que escreveu a carta e conseguiu o apoio de 12 alunos nos Estados Unidos e Austrália. 

 
 

A missiva, publicada na Internet, recolhe detalhes sobre o que aconteceu na madrugada de 03 para 04 de junho de 1989, em Pequim, quando o Governo decidiu pôr fim a quase dois meses de protestos pró-democracia na capital e noutros pontos do país através do exército, que saiu para a rua com tanques e disparou contra os manifestantes. 

 
 

O número real de mortos ainda é desconhecido, mas acredita-se que oscila entre as centenas e os milhares, com o Executivo a defender que este é um capítulo encerrado e a negar-se a comentar o assunto. 

 
 

Para surpresa dos autores da carta, o diário oficial Global Times publicou, num editorial, uma resposta à carta em que acusa "forças estrangeiras hostis" de estarem por detrás da iniciativa, gerando o resultado involuntário de dar a conhecer ainda mais a carta. 

 
 

"A sociedade chinesa chegou a um consenso para não debater o incidente de 1989 (...). Numa altura em que a China está a avançar, alguns estão a tentar apropriar-se da história, numa tentativa de dividir a sociedade", lê-se no texto.



Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.