sicnot

Perfil

Mundo

Justiça francesa condena oito e absolve ex-ministro no caso L'Oréal

A justiça francesa absolveu hoje o ex-ministro Eric Woerth de tráfico de influências e abuso da fortuna da multimilionária Liliane Bettencourt quando era tesoureiro de Nicolas Sarkozy em 2007, condenando outros oito acusados a prisão e a multas.

© Christian Hartmann / Reuters

Os juízos do Tribunal Correcional de Bordéus, no sudoeste de França, consideraram não haver provas de que Woerth se tivesse aproveitado do seu cargo de ministro para condecorar com a Legião de Honra Patrice de Maistre, gestor da fortuna de Bettencourt, a mulher mais rica de França, acionista histórica do grupo L'Oréal.

Segundo a ata da acusação agora invalidada, em troca da atribuição da distinção a De Maistre, Woerth, que foi responsável pelo financiamento da campanha eleitoral de Sarkozy para as eleições presidenciais de 2007, que este venceu, conseguiu que a esposa fosse contratada para gerir os investimentos de Bettencourt.

Woerth também estava acusado de recetação, por alegadamente ter recebido envelopes com dezenas de milhares de euros em dinheiro vivo, entregues por De Maistre para financiar a campanha de Sarkozy, Presidente de França de 2007 a 2012.

Ao contrário, os juízes condenaram De Maistre a 30 meses de prisão, dos quais 12 foram perdoados, bem como a uma multa de 300 mil euros, por considerarem que abusou da debilidade da rica anciã, que tem agora 92 anos e sofre de Alzheimer, encontrando-se sob cuidados de familiares. 

A pena maior, de três anos de prisão, dos quais seis meses estão isentos de cumprimento, 350 mil euros de multa e 158 milhões de euros de indemnização por danos e prejuízos causados a Bettencourt recaiu sobre o fotógrafo François-Marie Banier, que recebeu centenas de milhões de euros em produtos financeiros e obras de arte da idosa. 

O julgamento que se realizou entre finais de janeiro e início de fevereiro, focou-se em determinar se os acusados se tinham aproveitado da multimilionária devido à sua idade avançada, acusações confirmadas para todos, exceto Woerth.

Na fase de instrução também esteve acusado Sarkozy, se bem que a acusação tenha sido arquivada por falta de provas. 

Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.