sicnot

Perfil

Mundo

As principais etapas da aproximação histórica entre EUA e Cuba

O anúncio desta sexta-feira sobre a retirada de Cuba da lista norte-americana de Estados patrocinadores do terrorismo representa uma das etapas mais importantes da aproximação histórica entre Washington e Havana, iniciada em dezembro de 2014. 

11 de abril: Encontro histórico entre Obama e Raul Castro na VII Cimeira das Américas, no Panamá, o primeiro encontro formal entre presidentes dos dois países desde a revolução castrista de 1959.

11 de abril: Encontro histórico entre Obama e Raul Castro na VII Cimeira das Américas, no Panamá, o primeiro encontro formal entre presidentes dos dois países desde a revolução castrista de 1959.

© Jonathan Ernst / Reuters

2014

- 17 de dezembro: Os Presidentes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciam em simultâneo que os dois países vão iniciar negociações para o restabelecimento de relações diplomáticas, que estavam suspensas desde 1961.

O anúncio surge após 18 meses de negociações secretas entre os Estados Unidos e Cuba, sob a égide do Vaticano e do Canadá.


2015

- 12 de janeiro: Cuba conclui a libertação "humanitária" de 53 presos que figuravam numa lista entregue por Washington, que designava estes detidos como prisioneiros políticos.


- 15 de janeiros: Os Estados Unidos decidem facilitar as viagens e o comércio com Cuba, dentro dos limites das competências do Presidente Obama, de forma a mitigar os efeitos do embargo económico e financeiro norte-americano, em vigor desde 1962.


- 19 de janeiro: Seis políticos democratas norte-americanos concluem uma visita a Havana depois de encontros com altos responsáveis, dissidentes e o cardeal Jaime Ortega, chefe da Igreja cubana. Outras missões de legisladores norte-americanos acontecem nos meses seguintes.


-20 de janeiro: O Presidente Barack Obama (democrata) pede ao Congresso norte-americano, dominado pelo Partido Republicano, para iniciar em 2015 o debate sobre o levantamento do embargo contra Cuba.


- 22 de janeiro: Primeira ronda das negociações entre os dois países para discutir a reabertura de embaixadas. O encontro entre as duas delegações ocorre na capital cubana. 

A delegação norte-americana é chefiada pela secretária de Estado adjunta para os Assuntos do Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson, e a equipa cubana por Josefina Vidal, diretora-geral para os EUA no Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cuba.

As duas partes admitem "profundas diferenças", mas concordam em aprofundar o diálogo.


- 23 de janeiro: A empresa de cartões de crédito pré-pagos Mastercard anuncia que os seus cartões poderão ser em breve utilizados em Cuba. Cinco dias depois, a American Express faz um anúncio semelhante.


- 26 de janeiro: Fidel Castro, o eterno inimigo dos Estados Unidos, quebra o silêncio sobre o processo de restabelecimento, afirmando que não rejeita, mas que não confia em Washington.


- 3 de fevereiro: No Congresso norte-americano, Roberta Jacobson adverte que "a total normalização" das relações com Cuba "poderá demorar anos".


- 9 de fevereiro: O 'site' norte-americano de vídeos online Netflix passa a estar disponível em Cuba, apesar de serem poucos os cubanos que têm Internet nas respetivas casas.


- 17 de fevereiro: Uma delegação de políticos democratas norte-americanos, chefiada pela líder do Partido Democrata na Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso) Nancy Pelosi, evoca em Havana a questão dos direitos humanos e apela para a reabertura de embaixadas.

- 27 de fevereiro: Segunda ronda de negociações decorre em Washington. As duas partes anunciam "progressos", mas sem avançar informações concretas.


-2 de março: Profissionais norte-americanos do setor agrícola visitam Cuba e exortam o Congresso norte-americano a levantar o embargo que proíbe as transações comerciais com aquela ilha caribenha.


- 4 de março: Começa a funcionar uma linha telefónica direta entre os dois países, a primeira em várias décadas.


- 16 de março: Nova deslocação da secretária de Estado adjunta para os Assuntos do Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson, a Havana para negociações com as autoridades cubanas. Após o encontro, as duas delegações concordam em "manter a comunicação".


- 21 de março: Uma delegação norte-americana desloca-se a Cuba para discutir a futura colaboração entre os dois países ao nível das Telecomunicações e da Internet.


- 24 de março: O Departamento do Tesouro norte-americano anuncia o levantamento de sanções, nomeadamente contra seis personalidades e 37 empresas.


- 31 de março: Nova reunião entre altos responsáveis dos dois países em Washington, desta vez consagrada aos Direitos Humanos.


- 11 de abril: Encontro histórico entre Obama e Raul Castro na VII Cimeira das Américas, no Panamá, o primeiro encontro formal entre presidentes dos dois países desde a revolução castrista de 1959.


- 14 de abril: Barack Obama anuncia a sua decisão de retirar Cuba da lista de Estados patrocinadores do terrorismo. Para Havana, esta medida é uma pré-condição para o restabelecimento das relações diplomáticas com os Estados Unidos.

  
- 5 de maio: Os Estados Unidos afirmam ter emitido licenças que autorizam o transporte de passageiros por 'ferry' com Cuba, pela primeira vez em mais de 50 anos.


- 12 de maio: Raul Castro afirma que as negociações com os Estados Unidos "estão a correr bem" e que os dois países poderão nomear embaixadores depois de 29 de maio.


- 19 de maio: Um alto responsável norte-americano anuncia que a representação diplomática cubana em Washington, privada de serviços bancários há mais de um ano, chega a acordo com uma instituição bancária para garantir futuras operações financeiras.


- 21-22 de maio: Quarta ronda de negociações em Washington.


- 28 de maio: Durante uma deslocação a Miami, Florida, Barack Obama faz uma visita surpresa a uma igreja popular entre os exilados cubanos.


- 29 de maio: Os Estados Unidos retiram Cuba da "lista negra" dos Estados patrocinadores do terrorismo. Havana constava desta lista elaborada pelo Departamento de Estado norte-americano desde 1982.
Com Lusa
  • Morreu o vocalista da banda Linkin Park

    Cultura

    Um dos vocalistas da banda de metal alternativo Linkin Park, Chester Bennington, morreu, em casa, numa cidade do condado de Los Angeles, aos 41 anos. Chester Bennington ter-se-á suicidado, de acordo com a plataforma TMZ. O músico juntou-se aos Linkin Park em 1999, três anos após a formação da banda, que editou o seu álbum de estreia, "Hybrid Theory", em 2000. O disco, do qual fazem parte temas como "In the End", "Crawling" e "One Step Closer", vendeu dez milhões de cópias só nos Estados Unidos.

  • O perfil do novo herói do surf português
    3:43
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • CGTP acusa PT de ilegalidades no dia da greve
    0:46

    Economia

    A CGTP pede a intervenção do Governo na PT. Esta quinta-feira, na SIC Notícias, Arménio Carlos acusou a empresa de estar a cometer mais uma ilegalidade, ao ter requisitado trabalhadores para cumprir serviços mínimos uma semana antes do permitido por lei.

  • Altice responde a António Costa
    1:33

    Economia

    A Altice respondeu ao Governo, na sequência das críticas de António Costa, lamentando que Portugal não reconheça a importância dos investimentos que o grupo faz no país. A dona da PT inaugurou esta quinta-feira um novo call center em Vieira do Minho e, na sexta-feira, está marcada uma greve geral dos trabalhadores da PT.

  • Protesto dos enfermeiros é "ilegal"
    2:37
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26

    Aqui há História

    Os baixios da barra do Tejo já foram cemitério de centenas de embarcações. Uma delas foi o Patrão Lopes, o navio de salvamento que saía para o mar quando todos fugiam das tempestades. Foram cinco dias em agonia até naufragar no Bugio, num caso que acabou na barra do tribunal. 80 anos depois, a SIC mergulhou no Patrão Lopes porque "Aqui Há História".

  • Sismo de magnitude 6.9 na Turquia

    Mundo

    Um forte sismo com magnitude 6.9 na escala de Richter fez-se sentir esta quinta-feira a sul da cidade turca de Bodrum. A informação foi avançada pela agência norte-americana de Geologia.