sicnot

Perfil

Mundo

Kerry anula visita a Espanha após queda de bicicleta

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anulou a visita oficial a Espanha e regressará ainda hoje aos Estados Unidos depois de ter partido o fémur numa queda de bicicleta.

© POOL New / Reuters

Estava previsto que hoje mesmo Kerry e a sua delegação partissem de Genebra em direção a Espanha, onde estava agendada para esta tarde uma reunião com o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel García Margallo, estando ainda previstos encontros com o rei Felipe VI e com o presidente do governo, Mariano Rajoy.

Na segunda-feira estava previsto viajar para Paris, onde deveria encontrar-se com o homólogo francês, Laurent Fabius, e participar numa reunião ministerial da coligação contra o Estado Islâmico (EI).

John Kerry, que faz 72 anos em dezembro, foi hoje hospitalizado depois de um acidente de bicicleta em Scionzier, França, perto de Chamonix, nos Alpes franceses, que aconteceu cerca das 08:40, hora de Lisboa.

O secretário de Estado norte-americano tinha previsto uma visita de dois dias a Espanha para formalizar um acordo que prevê a instalação de uma base permanente dos EUA em Morón de La Frontera (Sevilha) para intervenções das forças norte-americanas para intervenções no Norte de África e manter contactos com responsáveis oficiais.  


Lusa



  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.