sicnot

Perfil

Mundo

Descoberta "nova espécie" humana na Etiópia

Fósseis descobertos na Etiópia desvendaram a existência de um novo hominídeo. A descoberta foi anunciada na revisra "Nature".

Arquivo reuters

Duas mandíbulas e um maxilar com 3,3 e 3,5 milhões de anos foram descobertos na região de Afar, na Etiópia, e provam que a nova espécie viveu na mesma região e na mesma época de Lucy, "Australopithecus afarensis".

De acordo com os investigadores, do Museu de História Natural de Cleveland, Estados Unidos, a descoberta "mostra que havia pelo menos duas espécies de hominídeos contemporâneos na região etíope de Afar a viver entre há 3,3 e 3,5 milhões de anos e é uma confirmação adicional da diversidade taxomónica dos primeiros hominídeos no Leste de África durante a época do Plioceno Médio".

A descoberta da nova espécie, designada pelos investigadores de  "Australopithecus deyiremeda", "eleva o debate em torno da diversidade de hominídeos", dizem os investigadores.
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.